Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

Indefinitivas palavras - Undefined words

Comunicativas, percebidas, mal entendidas, perdidas...

Communicative, understood, misunderstood, lost...

 

Sinais de comunicação preparam:

o entendimento para ser mais claro

ávido, o pensamento delas necessita (palavras)

para existir em tudo o que o sinta,

desde o mundano até ao raro!

Todas as palavras o pensamento elevam...

 

Communication signals prepare:

the understanding to be clearer

greedy, thinking needs them (words)

to exist in everything that you feel,

from the mundane to the rare!

All the words the thought elevates...

 

Mas, em tantas traduções, expressões,

em que se esgueiram complicadas

em muitas direcções...

Vão sendo certas, incertas, adequadas.

Sem limite revelam intenções,

ou deixam definitivamente de ser claras!

 

But in so many translations, expressions,

in which they slipped complicated

in many directions...

They will be certain, uncertain, adequate.

Without limit, they reveal intentions,

or cease to be clear!

 

Usamo-las para adjuvar a vontade,

para que sejam clareza sem confusão;

numa quase finalidade de verdade.

Regenero tanto sentido com elas perto do coração!

Mas, o poeta que as expõe tão cruas na saudade,

endeusa-as na sua ambiguidade de sentido em toda a sua expressão

 

We use them to adjuge at will,

so that they are clarity without confusion;

to be clear in a quasi-purpose of truth.

I regenerate so much sense with them near heart!

But the poet who exposes them so raw in longing,

deifies them in their ambiguity of meaning in all its expression

 

Um pensamento é mais vigoroso,

quando entendido em palavras soltas;

em sua intensidade alta na emoção!

As palavras  querem a voz na entoação...

E assim ganham vida, deixam de estar imóveis, mortas;

São entendidas, sonhadas, amadas, como bem tão mágico e precioso!

 

A thought is more vigorous,

when understood in loose words;

in their high intensity in emotion!

The words want voice in intonation...

And thus they come to life, cease to be immobile, dead;

They are understood, dreamed, loved as well so magical and precious!

 Rosamar  Freedom 

 

Um entemdimento entre o caminho percorrido do pensamento às palavras:

An understanding between the path traveled from thought to words: 

Camargo, Cunha e Bulgacov (2003),

" a partir da compreensão do pensamento do Vygotski (1992), dizem que o pensamento verbal possui  desde planos internos até aos mais externos. Os planos internos onde o sentido se configura, relaciona-se aos motivos, intenções, necessidades, interesses, impulsos e emoções do sujeito. Seria o ponto de origem do pensamento, ainda sem uma forma linguística específica, a linguagem interna, onde as palavras adquirem sentidos particulares que são intraduzíveis na língua externa.(...) O pensamento precisa da palavra para se realizar, o caminho do pensamento para a palavra passa pela mediação do significado".  - Discussão da significação musical a partir da compreensão dos conceitos de significados e sentidos tal como propostos por Vygotski      

   

 

 

 

 

   Rosamar  Freedom  

 

  

 

 

 

  

publicado por lybelinha às 15:50

link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Abril 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Realidade tão invisível, ...

. Egoísta, talvez não - Sel...

. Poesia e "nonsense" - Poe...

. O equilíbrio do significa...

. Out of time ( to fill the...

. Nunca me disseram ( palav...

. À roda de tudo ( o meu po...

. Expressões (indiscretas) ...

. Tudo está por dizer (real...

. Tão breve - So brief

.arquivos

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Maio 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

.tags

. todas as tags

.favorito

. Janela da imaginação - es...

. A criatividade do sonh...

blogs SAPO

.subscrever feeds