Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Poética da alma

Criei este espaço completamente livre com o motivo de mostrar que é possível dar voz ao pensamento liberto na verdadeira expressão do espírito e da alma e as suas paixões! Um sonho inspirado em liberdade e amor.

Poética da alma

Criei este espaço completamente livre com o motivo de mostrar que é possível dar voz ao pensamento liberto na verdadeira expressão do espírito e da alma e as suas paixões! Um sonho inspirado em liberdade e amor.

A minha canção com influências - mares da lua e a clave do amor

Não desejei partir nesse dia!

Que era apenas um dia diferente.

Aquele em que revia tudo o que não sei no presente.

 

O dia concorria cheio de vantagens em todas as suas horas

Que não eram horas quaisquer.

Que se intitulavam por todos os meus não saberes e quereres!

 

Se tive essa liberdade de cantar todos os sóis;

De medir com o olhar o desenhar da paisagem

e de a declamar e descrever até à evasiva miragem...

 

De tornar o sinuoso sopé da montanha real!

Num poema divino cantado num dos mares da lua...

Que influencia a maré numa canção sideral.

 

Quem me disse que assim nasceu a inspiração?

Nessa densa busca pelo que não sei e que procuro...

Como quem tacteia a perceito em volátil obscuro!

 

Quem me chamou em secreto acenar

para me marcar na memória da imaginação,

os trilhos longos da aventura feita canção!

 

Porque pensei que as memórias refazem os sonhos perdidos.

Permitem as melhores lembranças

e reavivam a busca da imaginação em novas esperanças!

 

Mas que secreta influência teve dada recordação

De uma distante partilha ancorada em ténue transformação

de acreditar que o amor influenciou a minha canção!

 

Tinha marcado o caminho com rimas,

que eram nascidas, algumas e todas da minha emoção!

Tentei procurar o presente pelo meio de sua revisitação.

 

Por ser o único que era parte de tamanho e único mistério...

Esse dado presente a acontecer como relâmpagos de madrugadas,

demarcava-se em compassos de espera em ambíguo silêncio!

 

E cada silêncio tinha intervalos de tempo desiguais

Em que tentei combinar os diferentes sons numa só melodia.

Por meio de um arranjo poético guiado pela "clave do amor" e seus sinais!

 

Se eu pudesse ser como os outros, talvez...

Mas não, essa afiada indecisão era como os versos,

existiam na incerta corrente de se tornar a transformar mais uma vez!

 

Porque era todo o reino poético que recreava os dias pela manhã

Com seus embaixadores e embaixatrizes das pausas e suas melodias( os poetas e as poetizas)

Em uma perfeita sucessão de letras(sons) e harmonias simultâneas! 

 

Rosamar  Freedom

    

Comentar:

CorretorMais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.