Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Poética da alma

Criei este espaço completamente livre com o motivo de mostrar que é possível dar voz ao pensamento liberto na verdadeira expressão do espírito e da alma e as suas paixões! Um sonho inspirado em liberdade e amor.

Poética da alma

Criei este espaço completamente livre com o motivo de mostrar que é possível dar voz ao pensamento liberto na verdadeira expressão do espírito e da alma e as suas paixões! Um sonho inspirado em liberdade e amor.

Ninguém acredita, talvez ( na beleza e perfeição humana )

Só saberei que vivo aqui, neste mundo nosso

quando souber que ninguém acredita nisso,

nisso de teres beleza e perfeição dentro, isso

que não é algo credível e verdadeiro,

o facil é acreditar em tudo o que é teu derradeiro!

 

O belo traço, o barro bom que esculpe a alma,

não é nada desta metade para baixo,

é apenas o impossível, da metade para cima...

O lugar dos anjos, o céu, o sonho que fascina!

Onde a imaginação se esconde de modo cabisbaixo.

 

Não a enfrentamos, a ditosa perfeição!

Que vos enjoa e vos adormece no tempo.

Arrancar o mal e a imperfeição

que faz esquecer a falta de coragem no instante incerto!

Para sempre escolher e esconder a culpa de sua renegação.

 

Não poderei partir sem apresentar a sua prova real:

Que existe a sério como o sol da Primavera,

como a luz clara desta ou doutra manhã!

E que se materializa pela minha vontade que não espera,

pela minha descrição que a transfigura em poema etéreo e divinal!

 

Se ficou aquele espaço contido,

que faz a continuidade da vida

que será o pleno sentido eterno do que não sei,

é por isso que se é poeta de forma devida

é assim que construo em liberdade da imaginação requerida!

 

O silêncio é amante da beleza a que assiste o olhar,

pois esta só se reproduz em devota atenção dos seus fragmentos,

como o artista que a tenta transpor(sem nunca conseguir)

e desenhá-la em suas telas pelos seus ténues ou tempestivos traços...

E em sua interpretação insinua um mundo que existe em se recriar.

 

         Perseguindo um ideal de perfeição ( que nos envergonha )

Em sua dupla existência, é que o escutamos e damos por ele:

Em sua mimesis que deixou de ser original

possibilita a sua continuação que não é atroz, nem banal(reproduz o pensamento)

É devir constante que se movimenta, que nasce e renasce, para que se revele:

é familiar, como a junção do solo e do céu, sentido que urge para mim!

 

Trágico é o destino que se apodera das vontades alheias de si próprias;

É pois ao recriar o que existe que me imponho ao destino!

A diferença é imposta pelo acto de pensar diante do abismo,

que não aceito, que enjeito, como um mal inesperado,não revelado. 


Rosamar  Freedom        

 

     

Comentar:

CorretorMais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.