Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Poética da alma

Criei este espaço completamente livre com o motivo de mostrar que é possível dar voz ao pensamento liberto na verdadeira expressão do espírito e da alma e as suas paixões! Um sonho inspirado em liberdade e amor.

Poética da alma

Criei este espaço completamente livre com o motivo de mostrar que é possível dar voz ao pensamento liberto na verdadeira expressão do espírito e da alma e as suas paixões! Um sonho inspirado em liberdade e amor.

19.01.10

Artifício poético ou fingimento


lybelinha

 

    Eu posso exprimir um sentimento de tristeza de uma forma simples, com poucas palavras, apenas com uma frase declarativa. Quem a ler saberá imediatamente o que sinto. Direi simplesmente, estou triste. Mas se é bem percebida, não é igualmente entendida de uma forma expressiva, devido a isso ninguém lhe prestará a atenção devida, nem se comoverá a ponto de sentir vontade de me retirar dessa tristeza! É por isso que continuo com a devida convicção que enfatizar os sentimentos, expressá-los de uma forma rica e expressiva é algo que os poetas fazem de uma maneira maravilhosa e aberta. 

    Sei que sou poetisa, pois tenho a perfeita consciência que se não pudesse utilizar a subjectividade na linguagem, a pobreza na forma de me exprimir iria tornar o meu mundo insípido e desolador. Quando me apaixonei pelas palavras, acreditei que iriam ser para mim muito mais que veia e coração, mas também consolo, refúgio e até perdição! Pois através das palavras poderia viajar pelos dois extremos, a exuberância e o trágico, sem que sofresse as suas consequências.Porque viver nos extremos, é como se gastar e desgastar em cada acto consumado. O difícil e quase um ideal, é o meio termo ou o ponto mais equilibrado, pois é o que não corrompe, nem encurta a vida. Viver ao máximo no papel, sem que isso altere nada dentro de nós, apenas como uma compensação para a grande falta de sentido da vida!  

      O poeta está a mentir quando exprime o seu sentimento de tristeza? Não apenas utiliza a subjectividade, o artifício, o floreio, ou a criatividade ou apenas a imaginação que gera a criação artística! Já se fala agora de um outro quotidiano que rompeu radicalmente com o quotidiano comum que por sua vez utiliza os mecanismos da percepção da linguagem. É a desautomatização, a libertação das palavras do automatismo que caracteriza o uso de uma língua por um grupo de falantes.