Sábado, 16 de Junho de 2018

Segredos da poesia - Silente - Secrets of poetry - Silent

  O labirinto alegre do silêncio (na poesia)

  The happy maze of silence (in poetry)

      Insinuação - Overture

O silêncio empresta ilusões e fantasias cedo;

e entende os desejos para sonhar...

Salva o céu aberto de relevo:

para a invenção de voar!

Esquece todos os olhares de melancolia;

encanta-se ao sol de um novo dia

 

Silence lends illusions and fantasies early;

and understands desires to dream...

Saves the sky wide open in relief:

for the invention of flying!   

Forget all eyes of melancholy;

delights in the sun of a new day

 

Os seus motivos são a teimosia

a amparar o sentir do pensamento;

numa luta que nunca se esquecia,

de abrir seu coração sem medo:

a tantos momentos de poesia

a nascer no labirinto alegre insinuador do silêncio;

 

Its motives are stubbornness  

to support the feeling of thought;

in a fight that never forgot,

to open his heart without fear:

to so many moments of poetry

to be born in joyful maze insinuating silence;

 

   Rosamar  Freedom

 

publicado por lybelinha às 10:51

link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 11 de Junho de 2018

Segredos da poesia - Silente - Secrets of poetry - Silent

O labirinto alegre do silêncio (na poesia)

The happy maze of silence (in poetry)

         Insinuação - Insinuation

É um juramento que é meu verso,

que tem de cumprir:

o extremo mais doloroso do silêncio;

no poema o equilíbrio a refulgir

para sentir o real em seu avesso;

 

It`s an oath that`s my verse,

that you have to keep:

the most painful extreme of silence;

in poem the balance to appear

to feel the real inside out;

 

É um lugar de pura reflexão, revelação,

que decalca o invisível...

Desarma a emoção em recreação

que fugidia, tão sensivel, perecível

encontra o seu abrigo, é determinação!

 

It is a place of pure reflection, revelation,

that decalcs the invisible...

 

     Rosamar  Freedom

 

 

 

 

 

publicado por lybelinha às 19:25

link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 7 de Junho de 2018

Regras poéticas ( O prelúdio do prolongamento do instante )

Poetic rules ( the prelude of the prolongation of the instant )

 

Não é parar o instante em glória...

É perpetua-lo na sua sucessão a perdurar

num maravilhoso prolongamento mágico;

fazê-lo existir, sem ser distante.

Depois guarda-lo na pelicula da memória,

para numa doce nostalgia o recordar...

 

Uma revisão de boas recordações,

enquanto não me esqueço,

de viver, sonhar, versejar;

que é poética na música do tempo,

que não é perdido, dóceis lições

que combatem o adverso embatem no universo

para sempre me recordar e acordar

 

It is no to stop the instant in glory...

It perpetuates it in its succession to endure

in a wonderful magic prologue;

make it exist without being distant.

Then save it in the memory movie,

for a sweet nostalgia to rememeber...

 

A review of good memories,

so long as i do not forget

to live, to dream, rime;

what is poetic in the music of time,

which is not lost, docile lessons

that fight the adversary, strike the universe

 

    Rosamar  Freedom 

 

 

 

   

publicado por lybelinha às 20:49

link do post | comentar | favorito (1)

Contemporâneo ( Esquecimento e vazio ) - Contemporary ( Forgetfulness and emptiness )

                Anuviar - Overcast

Determina o realçar deste tempo:

a perda de valores humanos;

enquadrada numa vaga,

que é libertinagem e desentendimento

numa farsa em não se espera nada!

 

O que será este futuro?

O que será este presente?

Esta rapidez esfuziante,

que quebra desafios e solidifica muros.

Tudo para favorecer a obscuridade permanente!

 

Vela no contemporâneo que nada suceda,

que tudo seja passiva aceitação sistemática;

que se ofusque o caminho e a meta

e toda a valorização dramática

seja rapidez sem preparação, nem sentido.

 

A contemporaneidade integra a humanidade,

que tem uma longa história;

sem nunca ignorar continuidade,

e sem que se queira, longevidade e diversidade

que vai para além do esquecimento.

E do apagar da sua longa memória( sempre em construção )

 

Translation

Determines the highlight of this time:

the loss of human values;

framed in a vacancy,

which is debauchery and disagreement

in a farce in which nothing is expected!

 

What will this future be?

What will this present be?

This bursting rapidity,

which breaks down challenges and solidifies walls.

Everything to favor the permanent obscurity!

 

Veil in the contemporary that nothing happens,

that everything be passive systematic acceptance;

that overshadow the path and the goal

and all the dramatic appreciation

be quick without preparation, or meaning.

 

The contemporaneity integrates humanity,

which has a long history;

without ever ignoring continuity,

that goes beyond fogertfulness

and the erase of its long memory (always in construction )

 Rosamar  Freedom 

  

publicado por lybelinha às 18:42

link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 4 de Junho de 2018

Regras poéticas ( O prelúdio do prolongamento do instante )

Poetic rules ( the prelude of prolongation of instant )

Tão devagar nas horas,

que são origem da contagem

tão certa do tempo;

que são insinuações de demoras,

que traduzem o pensamento e a coragem

de deixar nascer inspiração e alento!

 

So slowly in the hours,

that are origin of counting

so certain of time;

that are innuendoes of delays,

which translate thinking and courage

of let birth inspiration and breath!

 

Tudo o que poetiza é:

puro reconhecimento,

na revolução sem limites

de viver o fugaz momento

de o repetir na recordação

de não o deixar fugir, o eludir...

 

Everything that poetizes is:

pure recognition

in the revolution without limits

of living the fleeting moment

to repeat it in the memory

not to let it to escape, to avoid...

 

Rosamar  Freedom

 

 

 

 

 

publicado por lybelinha às 16:20

link do post | comentar | favorito
Sábado, 2 de Junho de 2018

Secret, beautiful - Among the main song

Escrevo o meu nome na solidão sem o apagar - I write my name in solitude without deleting it

When i lay my eyes:

i hear a sound mysterious;

don`t know its choice,

but i find his nostalgic voice

to prepare those lines

simulating life and longing for?

 

Poems retreating passages

between hope and  despair.

So ugly and lonely to be less,

to stay so much sadness;

can´t feel, can`t fear so unfair...

 

Merely i discover life

can be always generous;

as can be broken wings,

it`s not thinking twice!

Its coldness is like white ice.

Oh, a magestic way to think the main:

beauty as a chance to mold her

in a single opportunity to try again?

 

A valley with a black forest 

becomes a mood in my heart;

simple rhymes give me a start, a light

to fill my heart with unrest!

Pain starts run, flying to the secret beauty

              anywhere in a place of life

 

     Rosamar  Freedom 

 

 

 

publicado por lybelinha às 15:05

link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 1 de Junho de 2018

Versos livres - Free verses

Sem a métrica relevante,

que mede o certo limite;

são livres, mas querem ritmo

instantâneo, que não me divide.

Em musicalidade, fiel, redundante

 

Without the relevant metric,

which measures the certain limit;

are free, but they want instant rhythm

that does not divide me.

In musicality, faithful, redundant

 

Sentido natural tão misterioso,

quanto real?

Que anima a curiosidade

de ainda não saber o final...

Pura construção e liberdade,

num retrato real e precioso!

 

Natural sense so mysterious,

as real?

What excites curiosity

of not yet knowing the end...

Pure construction and freedom,

in a real and precious portrait!

 

Não o sei de cor,

mas tenho sua intensidade

que é medida de alegria ou dor!

Não lhe sei a origem,

só a sua fantasia lhe dá sabor;

na medida da pureza da sua imagem.

 

I do not know by heart,

but i have its intensity

that is measured of joy or pain!

I do not know the origin,

only your fantasy gives you flavour;

in the measure of the purity of his image.

 

Enquanto permanece no segredo aceso,

que tem guardado o seu sentido a dar

em toda a magia no som toante, soante;

que funda a rima expressa no ouvido:

elege seu ritmo a musicar

um poema apaixonante de solidão e regresso...

 

While it remains lit in secret,

it has kept is meaning to give

in all the magic in sounded unperfect rhyme, perfect rhyme;

which founds the rhyme expressed in the ear:

chooses its rhythm to give music

to a passionate poem of solitude and return...

 

     Rosamar  Freedom  

 

 

 

 

 

 

 

 

publicado por lybelinha às 16:49

link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Eloquente ( ou o sentimen...

. A música da alma ( Que fa...

. Criação generosa : Do abs...

. Contemporâneo ( Revelação...

. Paisagem quase rural - Al...

. Escrever o mundo (à "dist...

. Tudo o que me comove - Ev...

. A aprendizagem natural - ...

. Segredos da poesia - Sile...

. Segredos da poesia - Sile...

.arquivos

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Maio 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

.tags

. todas as tags

.favorito

. Janela da imaginação - es...

. A criatividade do sonh...

blogs SAPO

.subscrever feeds