Sábado, 31 de Maio de 2014

Who do you think of? ( That muse )

Tell me, tell me, who do you think of?

Tell me, tell me, your secret inspiration...

 

Can you describe me

carefully, who is it

you think of?

when you`re writing that song?

Sustained in the other side

of your hide mirror mind.

 

You change your muse everytime,

just to keep it in mysterie hided!

Can`t lost her, keep it, keep it,

not a chance to reveal

your secret muse is not for real!

When you`re writing that song

to keep it for so long, so long, so long!

 

Who do you think of?

tell me, tell me your secret inspiration...

That muse, no, not a chance to reveal!

But in my translation soul,

i feel her, as she`s so real, as she`s so real!




   Rosamar  Freedom

  

publicado por lybelinha às 16:19

link do post | comentar | favorito

Em todas as tardes ( no meu caminho )

In all afternoons  ( in my way )

 

Sem saber nunca o que procuro,

ao te encontrar no meu caminho

emergiu intensamente...

O meu ser singular, no obscuro!

Libertas-me de tão profundo limbo.

 

Without know it never what i search,

when i find you in my path

emerged intensely...

My singular being, in the obscurity!

You set me free from so deep limb. 


Só a tarde pode explicar;

Só ela consegue falar:

Sobre tudo o que se desvanece,

e sobre tudo o que permanece.

E perguntei-lhe por mim e por ti,

para ela se revelar?

 

Only afternoon can explain;

Only she is able to speak:

About everything that vanish,

and about everything that remain,

And i asked her for me and for you,

for she reveals?


  Rosamar  Freedom 

 


 

 

 

publicado por lybelinha às 12:35

link do post | comentar | favorito

Em todas as tardes - no meu caminho -

In all afternoons - In my way -

 

Não, nunca penso,

porque assim demoro

a minha tarde aqui.

É um sentimento que me invade,

naquele momento que desperto!

 

No, i never think,

because thus linger

my afternoon here.

It`s one feeling that invades me,

in that moment that awake!


Nesta minha viagem tão solitária...

Seduzida pela descoberta,

que me ensina o esplendor

do mundo e seu valor!

Embrenho-me em enlevo

nesta janela agora aberta.

 

In that my voyage so lonely...

Seduced by the discovery 

that teach me the splendor

of the world and his value!

I journey deep into in rapture

in that window now open.


 *** voyage: A long journey, especially by ocean or in space( but in spirit ).

 

  Rosamar  Freedom 

 

publicado por lybelinha às 11:22

link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 30 de Maio de 2014

Labor poético ( gentil alma que vagueia )

Poetic labor ( Gentle soul that wander )

 

Vagueando pela poesia das coisas,

só a alma me decifrava

o ouro que se escondia na vida!

E me doava o sentido infinito da esperança que se revelava.

Em toda a comunhão de natureza, que se repetia

infinita e enriquecida!



Oh alma minha, que prendo e liberto...

que se seduz pelo mistério,

que procura o pleno,

que deseja o ser completo

e nunca descansa no desassossego deste silêncio!



Wandering per the poetry of things,

only soul deciphering me

the gold that hided in life!

And donate me the infinite sense of hope that was revealed.

In all communion of nature, that is repeated

infinite and enriched!



  Rosamar  Freedom

 

    

publicado por lybelinha às 17:39

link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 29 de Maio de 2014

Labor poético ( gentil alma que vagueia )

Poetic labor ( gentle soul that wander )

 

A alma estranha a vagueza ávida,

e vai-se perdendo por denso labirinto...

E em gritos calados de desespero

chama pelos sonhos, em que repousa o medo.

E pousa sua felicidade sem pressa, lânguida!



The soul surprise the avid vagueness,

and will be losing per dense labyrinth...

And in silent screams of despair

call for the dreams, in that rest fear.

And rest her happiness without hurry, languid!



  Rosamar  Freedom 

publicado por lybelinha às 17:45

link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 27 de Maio de 2014

Labor poético ( gentil alma que vagueia )

Poetic labor ( gentle soul that wander )

 

A minha alma ardente e cativa de paixão,

desertou perdida de amor loquaz!

Num longo e sério desatino

em estranho sentir procurou a paz,

num desejo de chegar a um qual destino!



My ardent soul and captive of passion,

deserted lost of glib love!

In a long and serious madness

in strange feel search for peace,

in a wish of arrive to one whitch destiny!



   Rosamar  Freedom

publicado por lybelinha às 16:41

link do post | comentar | favorito

Labor poético ( gentil alma que vagueia )

Poetic labor ( gentle soul that wonder )

 

Do perfeito espiritual, que idealizo,

que invento, que procuro na pena do poema...

Na comunhão que festeja a vida como lema

do sentido da alma que reclama,

a inspiração que mantém acesa a chama!

 



 

From the perfect spiritual, that i idealize,

that i invent, that i search in the nib of the poem...

In the communion that celebrates life as motto

of the sense of soul that complains,

the inspiration that keeps the flame burning!



  Rosamar   Freedom

    

publicado por lybelinha às 15:34

link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 22 de Maio de 2014

Poesia, um acto de liberdade

Poetry, an act of freedom

 

   As inúmeras formas de assegurar a formação de uma individualidade, segundo o meu ponto de vista, contém uma lacuna que se repete como um erro sitemático.O facto de haver necessidade de estruturar o conhecimento leva-nos para um amontoado de pensamentos racionais que nos retiram o prazer de sentir a liberdade, sempre que formulamos um pensamento.

   The numerous ways of ensure the formation of an individuality, according my point of view, contains one gap that repeats as a sisytematic mistake. The fact that there need of organize the knowledge leads us for a huddle of rational thoughts that derive the pleasure of feeling the freedom, always we formulate one thought. 

    Como exemplo, a poesia é pouco aceite como uma obrigatoriedade, pois carece de certezas normativas. E isso porque a poesia é feita para dar liberdade à imaginação que posteriormente vai estruturar de alguma forma o pensamento.

     As example, the poetry is little accepted like one obligatoriness, because lacks of normatives certainties. And that why poetry is made for giving freedom to the imagination that posteriorly will structure of some way the thought.

 

       Rosamar  Freedom 

     

 

publicado por lybelinha às 16:34

link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 20 de Maio de 2014

Sonho de amor

   Dream of love

 

Parecia fácil sonhar com o amor,

construir a felicidade.

Não mais desejar a solidão,

acreditar num recomeço de verdade!

 

Parecia fácil compôr tão desejado sonho

e vivê-lo de olhos fechados...

Aos poucos torná-lo realidade

e esquecer todos os sonhos quebrados!

------------------------------------------------------

Seemed easy dream with love,

bild the happiness.

No more wish the solitude,

belive in a real resumption!

 

Seemed easy compose so wished desired dream

and live it with close eyes...

Bit by bit make it  reality

and forget all the broken dreams!

-----------------------------------------------------------

Como reclamar a inocência,

que adormeceu dentro de mim

mas que sem saber, não esquecia

e me foi ancorando em promessas vãs sem fim! 

 

As claim the innocence,

that asleep inside of me

but that without know, don`t forgot

and i was anchoring in vain and unending promises! 

------------------------------------------------------------   

   Rosamar  Freedom

 

publicado por lybelinha às 17:46

link do post | comentar | favorito
Domingo, 18 de Maio de 2014

Labor poético ( gentil alma que vagueia )

     A voz desconhecida   The unknown voice

 

Poetic labor ( gentle soul that wander )

 

Labor poético, faz-se de subtilezas,

de instantes, de fugazes momentos,

de frugalidade e ensejos

de implicitos desejos;

da fuga radiosa de contagem do tempo!

 

Poetic labor, is made of subtleties,

of instants, of fleeting moments,

of frugality and opportunities

of implicit desires;

Of the radiant escape of the time count!

---------------------------------------------------

Do âmago da gentil luz,

que predomina no destino do poema:

da escolha sábia do mágico acaso,

em que cativa estou como açucena

desse olhar tão belo que me seduz!

 

From the pith of gentle light,

that predominates in the destiny of the poem:

of the wise choice of the magic hazard,

wherein captive i am like a lily

of that look so beautiful that seduces me!

--------------------------------------------------

   Rosamar  Freedom                    Guess     *****Açucenas são flores que representam a tristeza e angustia pela falta da pessoa amada. Lilies are flowers that represent the sadness and anguish by the lack of the loved person.     

publicado por lybelinha às 13:01

link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Julho 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Paisagem quase rural - Al...

. Escrever o mundo (à "dist...

. Tudo o que me comove - Ev...

. A aprendizagem natural - ...

. Segredos da poesia - Sile...

. Segredos da poesia - Sile...

. Regras poéticas ( O prelú...

. Contemporâneo ( Esquecime...

. Regras poéticas ( O prelú...

. Secret, beautiful - Among...

.arquivos

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Maio 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

.tags

. todas as tags

.favorito

. Janela da imaginação - es...

. A criatividade do sonh...

blogs SAPO

.subscrever feeds