Sábado, 11 de Junho de 2011

Abstracto emergente ( para que serve a arte e os artistas )

     Cultivar a imaginação e a sensibilidade não é um lugar comum, nem nunca há-de ser, só por sua subjectiva natureza. 

     Existem muitas formas de o poder fazer, uma das quais, através do ensino da poesia. Não há melhor forma de liberdade expressiva que a composição de um poema, mesmo sem a métrica, rimas e ritmos perfeitos. Ensinar alguém a olhar para dentro de si próprio, para se conhecer e sentir os seus medos e anseios, é algo que deveria ser emergente! Essa sua via ou faceta não é única e daí o ser dificil dar um lugar seguro e tão merecido à Poesia, porquanto o seu desdobramento e poder transformativo ser tão rico e ambivalente.  

     Também às artes, à pintura, ao teatro, ao cinema e à música se lhes pode dar essa função, a de educar a parte onirica e que tem toda a profundidade de todos os sonhos que poderemos realizar. De algum modo, o reconhecimento da existência da sensilbilidade de cada um, por vezes só é despertada de alguma maneira por via das artes. Parece-me a mim que é algo que todos possuem, mas que está como que adormecido, ou mantido num lugar muito estranho e escuro do seu intimo. Cultivar as boas emoções, que por isso se identificam com o bom senso e a razão e esforçar-se sempre para impedir que as más emoções lhe influenciem a mente.

     O artista interpreta o mundo de uma forma peculiar e particular, mas é a sua obra que vai fazer parte de uma dada parcela da história de determinada comunidade, através da sua expressão artistíca, em determinado lugar e em dado tempo.

     Porque se pensa que não é errado dizer-se que muitas vezes nos reconhecemos, de algum modo em alguma obra de um artista. Porque é isso que a arte faz, para além  de fazer história, ajuda a depurar o que provoca angustia e medo nos seres humanos e esse encontro traz-lhes um certo alivio e conforto. Mas o artista demonstra-o com criatividade e e de uma maneira que se transforma numa acção libertadora para quem vê e aprecia a sua obra.  

 

Rosamar  Freedom                 

publicado por lybelinha às 18:32

link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 9 de Junho de 2011

Definição de asteróide e últimas noticias

Na rota de um asteróide : É um corpo menor do sistema solar, geralmente da ordem de uma centena de Kms apenas.Já foram catalogados mais de três mil asteróides, sendo que diversos deles não tenham dados orbitais calculados, provavelmente existem ainda milhares de outros asteróides a serem descobertos.Estima-se que mais de quatrocentos mil possuam um diâmetro superior a um Km. 

        A força de gravidade exercida pelo planeta Terra pode atrair um enorme asteróide, modificando assim a sua órbita, o que poderia provocar uma colisão em 2034, alerta uma equipa de astrónomos. Segundo o "The Times", o asteróide baptizado de 2004 MN4 e que vai passar a uma distância de entre 24 mil e 40 mil Kms  da Terra, não representa neste momento um perigo real mas, caso a sua órbita se venha a desviar, poderá chocar com o globo terrestre em 2034.      

publicado por lybelinha às 18:49

link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 8 de Junho de 2011

Na rota de um asteróide histórico ( Romantismo )

                                                                       Coração na incompreensão

                                                           ( Dar razão ao sentimento ou a procura de liberdade da mente )

 

    Os poetas contemporâneos serão mesmo pessoas diferentes das demais ou apenas se elevam na vontade de dar sentido ao que são em conjunto com o que os rodeia? Ou o desejo de profunda concordância entre o ser e o estar! Serão originalmente percusores da " visão iluminista " e aristotélica da harmonia entre as emoções e a razão em detrimento do " Mito romântico ", que consiste na oposição cerrada entre o racional e o emocional. Visto ser o passado cheio de poetas românticos em que as longas melancolias embrenhadas em nevoeiros ténues de simbolismo romântico, que não chegava nunca a um equilibrio emocional, mas antes a um extremo de sentimentos exacerbados de impossibilidades e obstáculos!

     Os amores platónicos e quase sempre dentro das maiores impossibildades de concretização, devido à maior diversdade de um sem número de razões.

     Não me considerando como alguém que perconiza o futuro poético, mas antes dentro do meu próprio percurso. E nesse mesmo percurso finalmente arrisco assumir a minha evolução sentimental, ou o meu eu todo e uno.

     De entre os enlevos de solidão emanada de nevoeiros de melancolia, em total épico romântico na desfaçatez de aspirar a um qualquer vislumbre de possibilidade e por isso de felicidade!

      Me encontro, após longa viagem nocturna e solitária pelo músculo do coração, que não se cansa em se manter em total incomunicabilidade com  a razão, num surgimento de um dado entendimento que me inteirou numa luz nova e precisa!

     Enquanto lhe falei de valores sólidos, a substância de boas emoções a desencadear sentimentos que foram construindo um corpo de pleno ajustamento com a verdadeira direcção que sempre procurei, sob razão desconhecida e que agora se manifestava e era perfeitamente identificável e reconhecida por dentro das minhas palavras escritas.  

     Ao sentir o valor sólido da amizade, eu sinto boas emoções e a razão que me faz sentir assim é uma boa e grande razão e que me leva aos bons sentimentos que são fruto de boas ideias.

     As ideias que eu sempre determinei como principais arquétipos do Bem, desde o principio foram sempre boas ideias, não lhes sabia o seu nascimento, por isso as destinava para um ideal alojado na longura do firmamento,  o celeste irmanado ao sublime que não concretizou, mas que constrói pensamentos de felicidade e júbilo, um dos quais, pode ser o valor sólido da justiça!        

                                                                                                                                                    

      Rosamar  Freedom                                                 

                  

publicado por lybelinha às 20:32

link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Literacia do coração - He...

. Mil poemas de solidão ( A...

. Eloquente ( ou o sentimen...

. A música da alma ( Que fa...

. Criação generosa : Do abs...

. Contemporâneo ( Revelação...

. Paisagem quase rural - Al...

. Escrever o mundo (à "dist...

. Tudo o que me comove - Ev...

. A aprendizagem natural - ...

.arquivos

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Maio 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

.tags

. todas as tags

.favorito

. Janela da imaginação - es...

. A criatividade do sonh...

blogs SAPO

.subscrever feeds