Domingo, 25 de Maio de 2008

Modo de ser , modo de escrever - e algo que não rima-

 

Sinto-me no ser assim

Igual para o que escrevo

Impossível para o praticar

Nessa incompreensão que senti.

Nesse sorriso tão apagado!

 


Não entendes, nem acreditas

Pensas querer ser diferente

Não sabes que sou verdadeira.

Em tudo o que faço me creditas

E nunca me olhas de frente.

 


É nesta linha transparente

Que me insinuo como sou

Não inventei uma mentira

Apenas criei o meu espaço presente

Em que revelei o que a alma me segredou.

 


Rosamar  Freedom

publicado por lybelinha às 18:10

link do post | comentar | favorito
Sábado, 17 de Maio de 2008

Part-time por gosto - sem falta de inspiração

 

       A minha vida não é ser escritora, que aliás não me considero.Apenas brinco, no bom sentido, um pouco com as palavras por gosto, é o meu melhor "passatempo" e os meus melhores e mais construtivos pensamentos. Uma fugidinha da outra realidade para esta construída por mim e que trato com muita sinceridade e carinho.

      Uma forma de solidão e um hábito de ir pensando entre as palavras que enriquecem de forma maravilhosa os meus devaneios ou pensamentos. Todos os temas que me tocam os tento descobrir com muita paciência, entusiasmo e inspiração. 

       Se pudesse seria uma escritora a full-time, com mais estudo e e dedicação total é que me poderia talvez considerar uma verdadeira escritora. Enquanto não posso nada me impede de exercer esta função com muito empenho e vontade , mas apenas em part-time.      

publicado por lybelinha às 16:56

link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 16 de Maio de 2008

O Amor

Amor verdadeiro senti

num destino querido

sentimento perfeito a definir


Tudo o que sempre desejei

encontrei no derradeiro de ti

a imperfeita harmonia em ti encontrei

 


O pressentido desejo

deu palavras de eloquência

num caloroso beijo


Calmaria e inquietude

és tudo em desvario

num amor a sentir plenitude 


As rimas surgem perfeitas

as palavras combinam nas métricas

nesse teu olhar em que me deleitas


Quero esse sonho de te ter

no meu poema romântico

nessa ilha de tanto te querer


Mas se um dia acontecer

esse real imaginado em ti

junta o teu abraço ao meu querer


Sem te arrependeres nesse acontecer

acalma a tua sede na minha alma 

e cala esse choro que te faz morrer


Nessa verdade tão carente

numa loucura tão dialéctica

acalento o meu amor vidente


Nesse abraço inteiro e lindo

com as tuas mãos abertas

olhas o sol no seu raiar e despertas.

 


 Rosamar Freedom 

publicado por lybelinha às 16:31

link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 14 de Maio de 2008

Expressão artística na Poesia e o encontro com o amor

      Não sei se se pode categorizar a poesia, mas se sim, posso considerar a poesia que escrevo mais artística. Porque na sua elaboração sondo o seu mistério , o que está por descobrir, o total original.

      O desabrochar da vida e do seu sentido em cada momento único e irrepetível, pois todo o entendimento da natureza reside no saber único. todo o seu encadeamento é instintivo e totalmente inteligente em todo o seu acontecer.Não temos de ser donos do dom da natureza, pois isso é impossível e só a destruíra na sua essência. 

       A essência das coisas não é um segredo, mas é algo que tem uma mistura de magia com o livre nascer do ser que é o espelho que reflecte um acto de liberdade que sem se enganar contém todas as medidas certas.  A medida divina que contém a essência de todas as coisas que pertencem à natureza. Tudo é perfeito, tudo encaixa de forma maravilhosa e assim se dá o milagre da natureza! É só escutar e sentir de forma diferente, como se nascesse um novo e modificado dia.

       Só posso comparar a natureza com o amor. O amor tem a sua origem na sinceridade de um acto natural que acontece sem ser calculado mas construído, é unicamente o despertar do coração em plena liberdade. É nesse zénite, nesse cume que se pode traduzir a expressão artística poética. Porque tudo o que se pode dizer sobre o amor é incompleto e a continuidade só depende daquilo que não se diz. . è aí que se tocam de forma completa poesia artística e o amor. As reticências são sempre espaço para crescer e amar, sempre numa continuidade infinita e sem limites!

       Sentir único , amor de sempre.  

publicado por lybelinha às 21:01

link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 8 de Maio de 2008

Da Liberdade à espreita entre mil sentinelas ( a procura)

    No sol, no vento, no desterro

     Procurei-te sempre em vão

     No sentido, e no concreto

     Ansiei pela tua boa mão

     No desatino sem destino

     No peito de um irmão


     Nunca te encontrei e quis

     No esquecimento e no medo

     No deserto e seus sinais

     No pensamento que era cedo

     Nos meus dias quase finais

     Nos meus passos e no meu tropeço


    Na direcção e no inverso   

    No sonho da minha coragem

     No dia feliz ou submerso

    Nas asas da minha viagem

    No calor da paixão e do verso

    No encontro com a tua miragem


    No longe que se faz perto

    Nos ideais , na utopia

    No grito do incerto

    Na esperança que se perdia

    Na destruição do excerto

     No exótico de uma cotovia


    Na inspiração que emergia

    No silêncio que divagava

    Nos devaneios do meu dia

     Nas cinzas que eu não apagava

    No claro que eu sonhava e queria

    No sonho que em real se transformava


    No desencontro que imergia

    Te julguei tocar finalmente

     Minha liberdade que se fez dia

    Nessa luz quase intermitente

    Nessa quase verdade que se desprendia

    Te decidi amar para sempre!


    Te imaginei no cativeiro mais longo

     Na tarde mais sombria e triste

     Na solidão maior do meu sono

     De tudo o que luta e não desiste

     No mais apaixonado encontro

     Na tarde mais bela que persiste!


     No dom da beleza e sinceridade

     No movimento que se torna humano

      Na hora da mais terna verdade

      Num clamor de todo o ano

      No trono das mil divindades

      Num desejo de ser livre que acalento e amo!


     No entardecer que teima em cair

     No caminho com teu sentido

      Na alma das coisas e seu fluir

      Na arte do gesto adormecido

      No nascer do sol sempre a sorrir

       Na luz franca do artista empobrecido


      No poema que comove o choro

      Nas linhas geométricas e belas

      Na escrita da paixão em fogo

      Na candura do brilho das estrelas

      De mil maneiras te procuro e rogo

      óh Liberdade à espreita entre mil sentinelas!  


      Rosamar Freedom 

       

publicado por lybelinha às 15:32

link do post | comentar | favorito

§ Amor Poético $

       O amor finalmente nasceu

      Num vislumbre aceso

      Em e ritmo permaneceu

 


 

      Na rima que desejou

      O seu modo encontrou

       Em seu talento se agraciou

 


 

       Amor de forte sentido

        Alimentado de sentimento

        Que nunca mais serenou

 


 

        Em aprisionada amargura

        Por culpa de sua longura

        Em desejo louco se abandonou.

 


 

        Em  imagem de sua amada

        Se perdeu e se achou

         Em triste rima interpolada

 


 

         Em tela artística a esboçou

          Numa ilustração de seu pensar

          Em que corpo e olhar misturou

 


 

         Toques sensíveis, luminosos

         Cálido luar magnético

         Beijos sonhados apaixonados

 


 

         Mãos que se tocam a medo

         no sentido do sentir querer

         O sol que nasce ainda cedo...

 


 

        Amor que se diz sem segredo

        Como um mistério desvendado

         Num mote de artista inspirado!

 


 

        No sonho que se tocam

        Amam-se de corpo e alma

        Nas horas que não se esgotam. ,

 

                     Rosamar   Freedom                                                                                                                                                                      

     

     
publicado por lybelinha às 11:37

link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Junho 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Segredos da poesia - Sile...

. Segredos da poesia - Sile...

. Regras poéticas ( O prelú...

. Contemporâneo ( Esquecime...

. Regras poéticas ( O prelú...

. Secret, beautiful - Among...

. Versos livres - Free vers...

. Inútil eloquência? - Usel...

. Confusão, ilusão e expres...

. Egoísta, talvez não - Sel...

.arquivos

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Maio 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

.tags

. todas as tags

.favorito

. Janela da imaginação - es...

. A criatividade do sonh...

blogs SAPO

.subscrever feeds