Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Poética da alma

Criei este espaço completamente livre com o motivo de mostrar que é possível dar voz ao pensamento liberto na verdadeira expressão do espírito e da alma e as suas paixões! Um sonho inspirado em liberdade e amor.

Poética da alma

Criei este espaço completamente livre com o motivo de mostrar que é possível dar voz ao pensamento liberto na verdadeira expressão do espírito e da alma e as suas paixões! Um sonho inspirado em liberdade e amor.

05.12.07

Criatividade ( o melhor que tenho para dar) - Da realidade


lybelinha

    Num dia à dia sempre afastado das coisas mais simples, mais importantes e por isso mais belas não saímos da terrível abstracção do caminho vazio que é perene.

    Acorda-se com o primeiro olhar que apenas se debruça sobre a repetição inútil de tudo o que se faz, apenas para cumprir rotinas de uma existência que se vai tornando nula e desnecessária. Mas aquela parte que temos dentro de nós que é quase invisível  ( salvando as excepções ) que é o que temos de melhor dentro do nosso ser continua numa estagnação continúa e irreversível.

    Num pragmatismo ignóbill e absurdo continua-se sempre em direcção à prática de uma "filosofia de vida " aplicada na " ciência do absurdo " e da inutilidade!

     O meu ser que se distingue de muitos outros, também se encontra no sentir de alguns.

      « É a poesia que me implica, que me faz ser no estar e me faz estar no ser. É a poesia que torna inteiro o meu estar na terra.»

      É a escrita que se faz nas " águas intermediárias " com letras que se formam em palavras criativas que se deslocam da profundidade mas que verdadeiramente nunca chegam á superficie!

      É aquilo que  eu sou, é aquilo que eu penso, é tudo aquilo em que acredito, é esse o entendimento sobre tudo o que escrevi , escrevo e hei-de escrever.

     A élipse que é a minha alma só se sente plena, quando escrevo e me exprimo na minha verdade e autenticidade. É o meu melhor, é tudo o que tenho de bom para dar do meu ser.

    Quando escrevo, não me sinto num confessionário, pois não quero confessar os meus pecados, é apenas a minha maneira de ser pessoa.

    Quando escrevo enalteço naturalmente tudo o que tenho de melhor no meu interior e não o pior!     

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.