Sexta-feira, 23 de Setembro de 2016

Todas as razões ( de escrever ) All the reasons ( of writing )

Razão misteriosa - mysterious reason       Mudar o mundo para melhor - change the world for better

 

Ninguém sabe bem, essa certeza...

Do que move o movimento,

sem ser rápido, nem mesmo lento ( ritmo secreto )

de claras razões dessa urgência ilesa,

de tudo o que pode revelar escrever.

 

Se dissesse que vogar é seu modo ( a razão imperceptível )

talvez, talvez seja perto da verdade!

Se dissesse incerto caminhar,

não sei, não sei, mas é sempre emergente, devoto.

Oh, mas queria, por vezes definir e decifrar!

______________________________________________

Translation

No one knows this certainty...

what moves the movement,

without being fast or even slow ( secret rhythm )

of clear reasons for this unscathed urgency

all that can reveal to write.

 

If you said that roam is your way ( imperceptible reason )

perhaps closer to the truth!

If you said uncertain path,

i don´t know, don`t know, but is always emerging devotee.

Oh, but wanted sometimes define and decipher!

-------------------------------------------------------------------------------

Mas, após ter grandes razões e teimosias,

vêm, sem parar tantos motivos:

que se vão entrelaçando e completando...

Como se fossem amantes furtivos,

que no fogo de saber, se vão amando!

 

But after great reasons and stubbornness,

they come endlessly so many motifs:

that will intertwining and completing...

As it they were furtive lovers,

in the fire of knowing, they are going to love!

 

Escrever é que me traz no sonho ancorada.

É um lugar livre para desejar

ir além de todos os limites da inspiração...

Numa longa travessia, por ser imaginação

a se tornar invenção libertada, do caos, do nada!

 

Writing is what brings me anchored in dream.

It is a free place for wishing

go beyond all bounds of inspiration...

A long journey to be imagination

to become liberated invention from the chaos of nothing!

 

Esse caminho de procura, de querer, de saber,

o que é minha fiel razão de escrever.

Não me conduz a claro motivo, mas a muitas elações

e vou mais além, sobre o qual reflicto, através das palavras...

Para tudo se confundir em infinitas razões!

 

This search path, of wanting, of knowing,

what is my true reason for writing.

It does not lead me to clear motive, but many elations

and go beyond, on which reflect ,by the words...

For everything to be confused in endless reasons!

 

Procurar o amor, na palavra que desenha coragem.

Procurar a paz que explica o "sentimento,"

como um glorioso "pensamento profundo!"

Idolatrar o ideal, um sonho, na miragem...

Indelével felicidade, que perpassa o meu mundo!

 

Seek for love, in word that draws courage.

Seek for peace which explain the "feeling,"

as a glorious "deep thought!"

Idolize the ideal, the dream, in mirage...

Indelible happiness, that pervades my world!

Rosamar  Freedom

  

 

 

  

 

 

   

 

 

 

 

  

 

   

 

publicado por lybelinha às 15:46

link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Novembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
18
19
20
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Rumo contra a maré - A in...

. The legend of gold (Windo...

. Coração partido ( Balada ...

. A arte da destruição - Th...

. Eu testemunho (a necessid...

. Não acredito (na indifere...

. Música, fugidio, o pensam...

. Um poema de tristeza (à p...

. Uma certeza (das minhas) ...

. Guardado na memória (estr...

.arquivos

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Maio 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

.tags

. todas as tags

.favorito

. Janela da imaginação - es...

. A criatividade do sonh...

blogs SAPO

.subscrever feeds