Sábado, 6 de Agosto de 2016

Tempo de ausência ( Diurna transparência ) - Absence time ( Daytime transparency )

Tentei, tentei gastar toda

a minha ausência,

para que pudesses me lembrar

em toda a renuncia, toda a hora.

E desse meu desejo te perdesses!

 

Mas é sempre tudo em vão.

Nada faz parar o tempo voraz,

que é inalterável em indecisão

e que toda a vontade desfaz!

Mas, só o coração pede paz...

 

Tried, tried spend all

my absence,

so you could remember me

throughout renounce, in each hour

and that my desire you wouldst lose!

 

But, it is always all in vain.

Nothing stops the voracious time,

which is inalterable in indecision

and all will undo!

But only the heart beg for peace...

 

O amor tão dedicado,

para minha única realização final

não passa de muito tempo preparado,

e uma grande reinvidicação sentimental!

Uma doce recordação em dias nostálgicos...  

 

A love so dedicate,

to my only achievement end

it is only too ready time,

and a great sentimental claim!

A sweet recollection in nostalgic days...

 

   Rosamar  Freedom

   

publicado por lybelinha às 15:35

link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 4 de Agosto de 2016

Ausente, presente - Absente, present

Se foi culpa de não ser presente,

não sei dizer...

Mas todo o significado de ausente,

se perdeu num pensamento

que é para se reter!

 

If it was guilt of not being present,

i can not say...

But all the meaning of absent,

got lost in thought

which is to retain! 

 

Mas toda essa culpa, eu asseguro,

é por ouvir o silêncio,

que me conhece até ao futuro.

Me retém num modo profundo,

é o segredo oculto, alguém para o recomeço...

 

But all that guilt, i assure,

it is for listen the silence,

who knows me until the future.

Retains me in a profound mode,

it is hidden secret, someone to recommence...

 

Ausência tão, tão presente,

na surpresa de ser procura

num lugar tão marcado e ausente...

Mas que perdura para ser desculpa,

para uma solidão que me segura ( e depura )!

 

Absence so present,

in a surprise of being search

in  a place so marked and absent...

But that endures to be an excuse,

for a solitude that hods me ( and purifies me )!

 

 Rosamar  Freedom

tags:
publicado por lybelinha às 15:01

link do post | comentar | favorito
|

Muitas promessas ( o Verão do amor ) - Many promises ( Summer love )

Se a música acompanhasse todas

estas ambiciosas promessas,

que são todas a falar de amor.

São impossíveis, reais e loucas!

E são todo o desejo, sonho e cor...

 

If the music accompanies all

these ambitious promises,

which are all talking about love.

They are impossible, real and crazy!

And are all the desire, dream color...

 

Numa melodia com dois corações,

é a mais bela solidão acompanhada

de sensações e ternas emoções.

Num segredo mais bem guardado,

numa razão de viver tão recatada!

 

In a melody with two hearts,

is the most beautiful accompanied loneliness

of sensations and suit emotions.

In a best kept secret,

in a reason to live so coy!

 

E poderá ser sempre um dia perfeito,

numa ventania morna de uma tarde de Verão.

Com todos os seus perfumes, horizonte de um sol bem feito.

E muitas promessas a libertar as letras do poema,

que eleiam e sideram o meu coração!

 

And could always be a perfect day,

a warm wind of a Summer afternoon.

With all its perfumes, horizon of a well-made sun.

And many promises to release the letters of the poem,

that ensnare and siderate thus my heart!

 

«Porque o amor é uma promessa sem fim!»  «Because love is a promise endless!» 

*******************************************************************************

   Rosamar  Freedom  

 

  

publicado por lybelinha às 02:45

link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 3 de Agosto de 2016

Muitas promessas ( o Verão do amor ) - Many promises ( Summer love )

Nesta longa, doce, travessia do olhar,

que atravessa a transparência

dos sentimentos a glosar,

nas muitas linhas, na essência

da poética a surgir, que edifica o amor!

 

On this long crossing sweet look

travessing transparency

of feelings to gloss,

in many lines in essence

of the poetics to emerge that builds up the love!

 

Não sabem, nem eu vou saber, por tudo o que prometi...

É como o modelo real do pensamento.

Não te esqueço, estás no meu sentido, não te perdi,

e és também um dia quente, azul claro de Verão

em toda a imaginação do meu sentimento!

 

They do not know, nor do i know, everything i promised...

It is liked the real model of thought.

I don`t forget you, you are in my sense, i don`t lost you,

and you are also a light blue hot Summer day

in throughout imagination of my feeling! 

 

   Rosamar  Freedom

 

   

 

  

publicado por lybelinha às 18:47

link do post | comentar | favorito
|

Um filho ( a hora certa ) A son ( the right time )

Só por não dizer o terno significado,

que pertence todo ao coração!

Não, não é esquecido, é sentir muito guardado,

não serve nunca para revelação

é intrínseco no destino de ser pai ou mãe.

 

Nem as lágrimas, nem a alegria,

nem a inevitável separação,

que está na memória de um dia

dão tréguas à mágoa secreta do coração...

E tudo é sentido em tamanha demasia!

 

Só não se perde, nunca aquele momento,

aquela indestrutível e fiel coragem, que desperta...

Que acompanha a força, que nasce na dor do lamento:

quando uma vida pura,

chega para irromper naquela hora tão certa!

************************************************************

    Tradução - Translation

 

Only not tell the meaning suit,

which belongs to the whole heart!

No, not forgotten, is the sense very guarded,

does not serve ever to revelation

it is intrinsic in the fate of being father and mother.

 

Nor tears, nor joy,

or the inevitable separation,

that is in a day memory

give truces to the secret hurt heart...

And everything is in such sense too!

 

Just do not ever lose that moment,

that indestructible and true courage, that awakens...

Accompanying the force, that is born in the wail of pain:

when a new pure life,

arrives to spring out at that time so sure!

*******************************************************************

   Rosamar  Freedom

   

publicado por lybelinha às 17:34

link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 1 de Agosto de 2016

Muitas promessas ( o Verão do amor ) - Many promises ( Summer love )

Nessa madrugada afogueada de Verão,

não esmoreci, reclamo toda a liberdade

de que o amor é pura projecção.

E só não desisto de todas as suas promessas...

São perspectivas, sugestão e verdade!

 

This Summer flushed dawn,

not fading, claim all freedom

that love is pure projection.

And just not give up all his promises...

They are perspectives, suggestion and truth!

 

Elaborando a imaginação da sua expressão,

vou prometendo sem fim...

O desejo é libertado num silêncio,

que não quebra a doce inspiração

de um nome invulgar: "Inocêncio"!

 

Developing the imagination of its expression,

i will promise endless...

The desire is released into silence,

that does not brake the inspiration

of an unusual name: "Inocêncio"!

*********************************************

   Rosamar Freedom

 

 

  

publicado por lybelinha às 12:02

link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Dezembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Se pudesse chegar - If it...

. Indefinitivas palavras - ...

. Experiências na vagueza d...

. Os dias de hoje - Nowaday...

. Mundo universal - Univers...

. Com a sombra da tristeza ...

. Na poesia, como na música...

. Na poesia, como na música...

. O fulgor da audiência ( A...

. Rumo contra a maré - A in...

.arquivos

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Maio 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

.tags

. todas as tags

.favorito

. Janela da imaginação - es...

. A criatividade do sonh...

blogs SAPO

.subscrever feeds