Terça-feira, 28 de Junho de 2016

Mental pictures ( to sing )

Love, as beautiful

mental picture!

No one believe in that definition.

But i see an ugly future...

And just have this illusion:

think about a crazy love full,

with that dimension in sublime!

And that comparison, in lyrics,

"a distant warm sunshine":

oh, just to describe me in secret line,

and a crazy foolish romantic ryhme!

 

To love all my several

mental pictures...

All imagination revival!

A very strong mental picture,

make me dream all night long...

The golden frame: "allure" signe:

the expression ineffable of a tender song,

as a "lang-signe",

to delight always my lonely heart!

»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»

   Rosamar  Freedom   

publicado por lybelinha às 13:05

link do post | comentar | favorito
|

Urbe com mar ( fastidiosa ) - Metropolis with sea ( tedious )

Até o mar lá fica a destoar,

em todo o longo tapete de areia de cor

em reviravoltas de branco sujo

com todo o azul a turvar...

Num silêncio, até quebrado, pelo odor

vindo do ar, a petróleo escuro!

 

Even the sea therein diverges,

around the long sand-colored mat

in dirty white turns

around the blue become turbid...

In silence, even broken up, by the odour

from the air, the dark oil!

************************************************

Se a urbe fria e doentia,

me servisse de razão inspirativa

para poder, mesmo em hora tardia

me fazer esquecer, que não seria motivo:

por até fazer ocultar o cheiro da maresia...

E a beleza das asas das gaivotas perdidas!

 

If the cold metropolis and unhealthy,

provide me reason inspirational

to be, even in late hours

make me forget, it would not be motif:  

for up to hide the smell of salt air...

And the beauty of the wings of the lost seagulls!

»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»

   Rosamar  Freedom

 

publicado por lybelinha às 11:55

link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 25 de Junho de 2016

Poeta, coleccionador de imagens ( inebriantes ) - Poet, collector of images ( heady )

    " O poeta multifacetado " - " The multifaceted poet "

 

Música, que transpõe, brevemente,

todas as imagens, que vai guardando.

Compondo um enredo sublime:

sugerido pelo belo, pelo prazer regulando

todo o eventual, que o pensamento define!

 

Vai sendo recolector, por excelência:

no inebriante original, a querer

que não o limita, por ser prazer,

e tudo o que lhe interessa.

Para não se resignar à pura eloquência!

»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»

Music, briefly, transposes,

every images, that will keeping.

Composing a sublime plot:

suggested by the beautiful, by regulating pleasure,

all possible, which thought defines!

 

It will be collector, "par excellence":

the unique inebriating, wanting

which do not limit, for being pleasure,

and all what interests you.

Not to resign the eloquence!

***********************************************

Na ténue indefinição dos sonhos, imagens,

vão sendo latentes, por acontecer...

Apenas reflectidas nos seres palavras!

Mas caro ponto de partida, até entardecer!

Para serem a revelação dos meus sonhos, sempre em viagem.

                                                                        ( na mente )

 

In the tenuous indefinition of dreams, images,

they are being latent to happen...

Only reflected in the words beings!

But dear starting ponit, until dusk!

To be the revelation in my dreams, always in trip.

                                                        ( in mind )    

»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»

   Rosamar  Freedom          

 

  

 

 

 

publicado por lybelinha às 14:43

link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 9 de Junho de 2016

Umas folhas atrás ( alma de poeta ) - Some sheets behind ( soul of poet )

Chegou o descontentamento,

a minha lamúria...

Por que tudo sem paixão,

é o meu coração:

em precioso lamento!

 

Ao meu modo,

para poder ser;

como um silêncio intenso,

que me guarda sublime, devoto.

Embargo no meu sentimento!

 

Arrived the discontentment,

my wail...

Because everything without passion,

is my heart :

in precious lament!

 

To my mode,

in order to be;

as an intense silence,

which keeps me sublime, devout. 

Embargo on my feeling!

*********************************************

Num desencontro, que se consome,

como se o encanto fosse repetir:

a perdição e nostalgia...

Vou guiando o meu sentido e poesia,

para o exagero de sentir;

tudo o que me comove!

 

In this mismatch, that is consumed,

as if the delight was repeated:

the perdition and nostalgia...

I will guiding my sense and poetry,

for exaggeration of feel;

everything that touches me!

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

E vou-me perdendo pela eloquência das palavras,

que gritam sempre em silêncio...

Que libertam a esperança, a paz!

Em que repentino final aceso, o cesso,

passando por umas folhas atrás.

 

E vou moldando a expressão,

da longa partitura da alma;

que por ser loquaz, mas tão breve...

Em toda a sua reverberação,

em enfeitos de devoção, compaixão e paixão

vai-se revelando por tudo o que a enobrece!  

*****************************************************

And i myself losing by the eloquence of words,

screaming always in silence...

Releasing hope, the peace!

Wherein abrupt lit end, the cess,

going through some sheets behind.

 

And i`m shaping the expression,

from the long score of the soul;

that being loquacious, but so brief...

In all reverberation,

in devotion effects, compassion, passion

it will revealed for all that is ennobling!

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

~~~  Rosamar  Freedom~~  

 

   

 

 

 

 

  

publicado por lybelinha às 12:26

link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 8 de Junho de 2016

Sublime Compaixão ( um mundo melhor ) - Sublime compassion ( a better world )

Revivi tudo outra vez,

só para saber.

O que não sei,

e se escondeu sem eu querer.

Recomeço nas letras, que lês!

 

Depois de sentir o meu

ambíguo destino,

que aos poucos despareceu

senti o meu olhar lívido,

como se nada fosse o que perfilho!

 

Mas, só por ser o que é presente;

o que melhor abracei, pelo que tanto

que do meu melhor dei!

Sem pensar no meu pranto,

essa sublime compaixão, que sonhei:

para desejar um mundo melhor, sempre! 

***************************************************

   Rosamar  Freedom  

 

publicado por lybelinha às 19:00

link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 7 de Junho de 2016

Dream love - Love dream

Silently he was wandering...

About some musings;

in those cold nights,

with freedom lingers.

When all the solitude alights,

the will to make the heart, which is

( so lonely and appart ),

from the world, so cold

to be near of his tender dream love!

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Respect the dream of his

long loneliness to release,

against the cruelty of time

passing with hopes fade;

and become pain, the same

companion to stay, until late!

****************************************

   Rosamar  Freedom 

 

publicado por lybelinha às 14:49

link do post | comentar | favorito
|

Triste demais ( Continuação, reconstrução ) - Too much sad ( Continuation, reconstruction )

Se me perdoam, talvez

por ser a eterna

marca da tristeza

que acompanha tão só,

como este poema;

o som gentil do meu coração,

que vai assim com pressa

desatar o nó!

 

Da triste libertação,

só para ser mais um

desenlace para mais solidão!

 

Então se me permitem,

continuo com este meu

costume e queixume...

Que são os nós que tem

este meu coração, que insistem, insistem,

em respeitar-lhe todo o seu remexo

de felicidade e lume!

»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»

  Translation

Forgive me, maybe 

for being the eternal

mark of sorrow

that accompanies so alone,

as this poem;

the gentle sound of my heart,

that goes so hurry

untie the knot!

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

From the release,

only to be another

outcome for more solitude!

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Then if i may,

i continue with this my 

custom and moan...

Which are the knots who has

this heart of mine, who insist, insist, 

to respect you all your fidget!

»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»

   Rosamar  Freedom

 

 

 

publicado por lybelinha às 11:50

link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 3 de Junho de 2016

O (meu) sentido da rima - (My) sense of rhyme - ( Saudável mito ) - ( Healthy myth )

Retrospecção artistíca sucinta - Short artistic retrospection

 

Nesta forma, que me intimida

      a um certo sentido

no meu destino, sem que eu decida;

por ser rimado "no meu ouvido"!

Para ser luz que me ilumina...

 

Acompanha-me no seu ritmo,

como vigilia, antes de adormecer.

E vai sendo toda a invenção, que estimo,

que inspira o meu querer

numa direcção, que transforma o "mito"!

___________________________________

In this way that intimidates me

        a certain sense

in my destiny, without me decide;

to be rhyming "in my hear"!

To be light which illuminates me...

 

Accompanies me at your rhythm,

as vigil, before falling asleep.

And will be all invention, that estimate,

which inspires my will

in a direction, that transforms the "myth"!

************************************************* 

Vai pressentindo, por ser inseguro,

na sua permanente procura:

para reinventar cada segundo, que desejas

em todos os pensamentos que se depuram, nos conflitos

numa fraterna ligação entre o som das letras,

e o mistério dos sonhos e os seus mitos!

 

Will foreseeing, for being insecure,

in its permanent search:

to reinvent every second, that you wish

in all thoughts that debug, in conficts

a fraternal link between the sound of the letters,

and the mystery of dreams and their myths!

»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»

   Rosamar  Freedom  

     

 

 

  

publicado por lybelinha às 12:35

link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 2 de Junho de 2016

Ilusão eleita ( os desígnios da alma ) - Elected illusion ( the designs of the soul )

        Retrospecção artistíca sucinta - short artistic retrospection

 

Intensão vóluvel, que origina:

umas vezes, na liberdade,

que se revela verdade

daquele instante, que inspira...

Mas, sem ser premeditado,

é belo improviso do acaso!

***********************************

Intension in flighty, originating:

sometimes, in freedom,

which proves to be true

of that instant, that inspire...

But, without being premeditated,

it is beautiful ad lib of chance!

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Similar a todos os desejos,

que são segredos do coração;

que se guardam por ser:

deleite, vontade e paixão,

que comove, enternece, sem se perder...

 

Similar to all desires,

which are secrets of heart;

that are kept by being:

delight, desire and passion,

stir emotions, softens, without losing...

«««««««««««««««««««««««««««««««««

É a amarga doçura, que me encanta,

como o sabor de uma lágrima (de uma santa)

que suave e fugidia anima, inspirando:

toda a ilusão, imaginação, ilustra sucinta,

a secreta existência dos intentos

da alma, sempre sonhando!

 

It is the bitter sweetness, that enchants me,

as the flavor of a tear (of a saint)

that soft and elusive animates, inspiring:

all the illusion, imagination, illustrates brief,

the secret existence of the intents

of the soul, always dreaming!

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

   Rosamar  Freedom

 

 

 

    

   

publicado por lybelinha às 17:26

link do post | comentar | favorito
|

Só por o limite ( processo inspirativo ) - Only by the limit ( inspirational process )

 "Descritivo de fenómeno inspirativo"  - "Descriptivo of inspiracional phenomenon"

                              My experience

 

Que será liberdade,

que almejo, secreta;

que se relaciona

por ser realidade, raridade.

Por seu mote, que funciona,

com algo, que não se repete,

que se realiza para o que se reflecte!

----------------------------------------------------

Which will be freedom,

to crave, secret;

it relates to

to be reality, rarity.

By its motto, that works,

with something, that is not repeated,

which is held for which is reflected!

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Se desistir fosse sempre recomeço,

e todo o esplendor

para ser esse avesso,

e prevaleço.

Sem dor, para olhar,

por que esmoreço?

Para encenar tão, tão devagar!

~______________________________

 

If giving up was always fresh start,

and the splendor

to be the inside out,

and prevail.

Without pain, to look,

why falter?

To stage so, so slowly!

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

E vingo todos os meus desejos,

para um puro dramatismo;

e a reacção se inflama

para ser eu mesma, que mexo,

no fingimento de todo o limite:

contínuo, baço, perpasso constante desfecho!

 

Simultâneo na fuga e queda livre,

em medo e fascínio, em ardor da brasa da chama...

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

And avenge all my desires, 

for a pure dramatism;

and the reaction ignites

to be myself that i move,

on the pretense of all limit:

continous, spleen, pervades constant outcome!

 

Simultaneously in flight and freefall,

in fear and fascination, in burning of cinder flame...

 

Rosamar  Freedom 

 

 

 

 

    

 

 

publicado por lybelinha às 13:01

link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Dezembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Se pudesse chegar - If it...

. Indefinitivas palavras - ...

. Experiências na vagueza d...

. Os dias de hoje - Nowaday...

. Mundo universal - Univers...

. Com a sombra da tristeza ...

. Na poesia, como na música...

. Na poesia, como na música...

. O fulgor da audiência ( A...

. Rumo contra a maré - A in...

.arquivos

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Maio 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

.tags

. todas as tags

.favorito

. Janela da imaginação - es...

. A criatividade do sonh...

blogs SAPO

.subscrever feeds