Segunda-feira, 29 de Junho de 2015

Artistas, ladrões de sentimentos ( ternura )

Artists, thieves of feelings ( tenderness )

 

Por aí, sempre espiríto livre...

Vou simulando, sem querer,

o que a inspiração permite;

como se fosse um dever,

vou absorvendo sem limite!

.....................................................

Oh, quem me dera,

mas, deveras, deveras!

Reclamar por todos os segundos,

onde pairam todos os sonhos e quimeras...

Que uns são meus, e alguns,

para outros os perdera!

::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

Around, always free spirit...

I`ll simulating, without wanting,

what inspiration allows;

as it was a duty,

i will absorb boundless!

 

Oh, i wish,

but, indeed, indeed!

I reclaim by every second,

where hover all dreams and chimeras...

Which ones are mine, and some

for others had lost!

;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;

Mas é com o teu lindo sentimento,

que gosto de expôr o que, súbtil

põe palavras no meu pensamento...

Lento, esse desejo não retraiu, é servil

de tudo o que vou sentindo, ecludiu!

 

E perdura, ternura para ser expressão,

e quis guardá-la, quis cuidá-la,

quis reinventá-la, torná-la impressão... 

Então decidi torná-la motivo;

e  prepará-la, para ser letra para canção!

;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;

But is with your beautiful feeling,

that i like to expose what, subtle

put words, in my thinking...

Slow, that desire doesn´t retracted, is slavish

of everything i`ll feeling, erupted!

 

And lingers, tenderness to be expression,

and wanted keep it,wanted care it,

wanted reinvent it, make it impression...

So i decide make it motif;

and prepare it to be song lyrics!

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

 

  Rosamar  Freedom

      

 

 

 

 

 

 

publicado por lybelinha às 14:54

link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 25 de Junho de 2015

O sítio ( de onde se vê ao longe ) - A sombra do sol -

The place ( from where we see far away )

The shadow of sun

 

Primeiro fascinio da alma,

que salva;

O jardim do miradouro,

recordação de oiro...

Banquinhos de pedra branca

e cor de tijolo.

Efabulação do espírito inquieto,

e liberto, aberto em flor de girassol;

que é medição do tempo, pela sombra

do "relógio de sol"!

......................................................................

First fascination of the soul,

that saves;

Gazebo garden,

souvenir gold...

Stools white stone

and brick colour.

Fabled of the restless spirit,

and freed, open sunflower blossom;

that is measuring the time, by the shadow

of "sundial"!

*******************************************************

Essa sombra, que perpassa

a sua direcção,

instante a instante, momento a momento,

de imagem em imagem, realça:

toda a história do universo,

sombra, sol em recriação perene.

A memória do mundo e o seu

sacramento para sempre!

.............................................................................

That shadow,running through

his direction,

instant by instant, moment by moment,

image in image, highlight:

the whole history of the universe,

shadow, sun in recreation perennial.

The memory of the world and his

sacrament forever!

*********************************************************

  Rosamar  Freedom 

  

 

 

publicado por lybelinha às 15:34

link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 24 de Junho de 2015

Quando tudo ( se dá à entediante monotonia )

When everything ( takes the tedious monotony )

O relevo do pensamento:

the relief of thought:

 

Todos os pensamentos,

que reflectem o ruir

do prosaico, que é sentir;

gostaria de permanecer, nesse desalinho,

nessa memória dos sentimentos!

 

Every thoughts,

which reflect the collapse

the prosaic, that is feel;

would like linger, in that untidy,

in that memory of feelings!

.....................................................................

Escrevo, porque movo

a especulação, sempre adiante;

que vai esboçando e construindo:

o moldar do meu querer, sem logro.

Impregnado num longo silêncio sibilante!

 

I write, because i stir

the speculation, always ahead;

that will sketching and building:

the shape of my wanting, without sham.

Impregnated in a long silence sibilant!

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Quando tudo está entregue à monotonia, a se perder

que rodeia, inevitável, o quotidiano, a voragem.

Saliento por esmero, que entrelaço, por querer

pelo genuino poético que emergia e refazia, defronte

por a poesia, pelas palavras, serem viagem,

mobilidade, horizonte!

 

When everything is delivered to monotony, getting lost

that surrounds, inevitable, quotidian, the voracity. 

Emphasize by nicety, that interweave, by want

by poetic genuine that emerged and redo, in front

by poetry, by words, be voyage,

mobility, horizon!

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~   

  Rosamar  Freedom

   

 

 

publicado por lybelinha às 01:50

link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 17 de Junho de 2015

Deserta inquietação - tracejado do eu poético ideal -

Deserted disquiet - hatching of the i poetical ideal -

 

Só por ser, por ser poeta,

não quero soltar-me, apenas

por estimada errância...

O desejo é modelar a alma, desperta:

num permeio de extremos,

de êxtase, de alegria, ou dor e ânsia

aquilatar sua ( im ) perfeição incerta!

..................................................................

Only by being, being poet,

i don`t want release me, merely

for estimated wandering...

The desire is mould the soul, awakens: 

in an interposed extreme,

of rapture, of happiness, or pain and eagerness

appraise your ( im ) perfection uncertain!

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

  Rosamar  Freedom

 

 

  

publicado por lybelinha às 15:31

link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 12 de Junho de 2015

Deserta inquietação - tracejado do eu poético ideal -

Deserted disquiet - hatching of the i poetical ideal -

 

Refractor instantâneo:

que não sossega, tão leviano,

no seu nascer, que dança:

para se mostrar, digno de ser.

E volta à sua origem ( imagem ),

para se expressar em esperança,

que pode ser, um sorriso de criança!

 

Só pela solidão, parece...

Que o poeta, em prisão, é pioneiro ( desbrava novos caminhos )

para todo o deslumbramento

para enlevamento...

Aparição, verdadeiro sentido

de revelação dos valores ( perdidos ),

da seiva pura da vida!  

;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;

Instantanaous refrator:

That don`t be quiet, so skittish,

in his born, that dance

to show itself, worthy to be.

And  back to its origin ( image ),

to express itself in hope,

that could be, a chid`s smile!

 

Only by solitude, seems

that the poet, in prison, is pioneer ( breaking new ground )

to the dazzle

to the elevation...

Apparition, true sense

of revelation of values ( lost ),

of the pure sap of life!

********************************************************************

   Rosamar  Freedom

publicado por lybelinha às 15:34

link do post | comentar | favorito
|

Flor no escuro ( este sentimento ambíguo ) - rima emparelhada -

Flower in the dark ( this ambiguous feeling ) - paired rhyme -

 

Mas, na vergonha de esconder,

esta felicidade, que não queria perder;

recriei-a em diferentes expressividades

em contínua revelação da sua profundidade ( e qualidades ).

 

Mas, que secreto mistério constante

manteria de instante a instante:

essa flor no escuro a irromper,

e que sentimento é este sempre para a querer!

.................................................................................................

But, in the shame to hide,

this felicity, that i don`t want to lose;

recreate it in different expressions

in continuous revelation of his depht ( and qualities ).

 

But, what secret constant mystery

would  keep instant by instant:

that flower in the dark blossom,

and which this sentiment is always to want her!

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

 

  Rosamar  Freedom  

 

 

 

 

publicado por lybelinha às 10:58

link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 8 de Junho de 2015

Deserta inquietação - Tracejado do eu poético ideal -

Deserted disquiet - hatching of the i poetical ideal -

 

Só por ser limiar,

quase era eu servil:

de tal desarmonia,

que só bastaria;

por ser só pueril!

Só por tal motivo, se desvanecia,

a tal tensão angustiante familiar.

 

Desassossego desarmante,

que projecta sensível:

A simetria do Eu,

que é cambiante

de desejos meus.

Expõe-se em geito fiel

tão belo e deslumbrante...

**********************************************

Merely by this edge,

almost i was servile:

of such disharmony,

that only be enough;

by be puerile!

Merely by such motif, not fade,

such a distressingly familiar tension.

 

Disarming unrest,

projecting sensible:

The symmetrie of I,

that is changing

of mine desires.

It exposes in faithful way 

so beauty and stunning...

****+++++++++****~~~~~^^^^^:::---;;;###&&&&"""""""

Em seu âmago poético,

flui em sua técnica, de "instantes",

de pura invenção a querer...

Ténue libertação da vontade,

da descoberta, da procura ( do pródigo ).

De tantos motivos ( inquietantes ),

da ocultação que faz nascer:

sua liberdade de inspiração! ( adquirir de forma facil o que o inspira )

»»»»»»»»»»»»»»»»»»»««««««««««««««««»»»»»»»»»»»»«««««««««

In his poetic pith,

flows in its technical, of "instants",

of pure invention to want...

Tenuous liberation of will,

of discovery, of search ( of prodigal ).

Of many motifs ( unsetting ),

of occultation that gives birth:  

his freedom of inspiration! ( acquire easy way what inspire you )

««««««««««««««»»»»»»»»»»»»»»««««««««««»»»»»»»»»»»»»»»»

  Rosamar  Freedom   

 

 

 

 

 

 

 

 

 

publicado por lybelinha às 14:49

link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 5 de Junho de 2015

Impressão digital ( do processo criativo )

Fingerprint ( of the creative process )

 

Tudo se vai misturando...

Sempre sem um pouco

de hesitação ( certa certeza ),

assim vou preparando;

no meu original modo:

toda a minha invenção!

.........................................................

Que são os meus motivos,

que são os meus ideais,

as minhas afeições

únicos do meu ser;

que não são para se perder,

são meus originais.

::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

Everything will blending...

Always without a little

hesitation ( certain will ),

so i will prepare

in my original mode:

all my invention!

........................................................

Which are all my motifs,

which are all my ideals,

my affections

unique of my being;

that are not to lose,

they are my original.

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

Pelo crescimento da minha imaginação:

são todas as imagens,

que tenuamente perpassam

que profundamente recuam,

ao que agrada, sem explicação

à minha alma!

 

By the growth of my imagination:

are all the images,

that tenuously passes through

which deeply return,

to what please ( me ), without explanation

to my soul!

::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

                    Reverso da minha inspiração

Por ser o "princípio do prazer",

que acorda para o maravilhoso:

o discorrer da "síntese criativa",

mantendo minha alma

assumidamente cativa.

Mas, por seu guia, que salva,

pela identidade e motivos do ser!

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

                 Reverse of my inspiration

By be the "pleasure principle",

that wake up for the marvelous:

the compose of the "creative synthesis",

maintain my soul

assumedly captive.

But, by your guide, who saves,

by identity and motifs of the being!

::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

O meu conhecimento do mundo,

que é construído por tantas

experiências pessoais;

faz diferenciar no profundo:

a representação e ilustração,

que elaboro pra recrear a minha invenção.

 

My knowledge of the world,

that is constructed by so many

personal experiences;

does differentiate in deep:

the representation and illustration,

that i elaborate to recreate my invention.

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

  Rosamar  Freedom

 

***A realidade humana: Paradigma: Algo que serve de modelo=Padrão: ...A única realidade que é cognoscível é co-produzida pelo espiríto humano, com a ajuda do imaginário...                Excerto de Edgar Morin in "Os meus demónios"

 

***The human reality: Paradigm: Something which serves of model=Pattern :..The only reality that is cognoscible is co-produced by human spirit, with help of imaginary...

                                excerpt of Edgar Morin in "My demons"

 

 

 

 

 

 

 

 

 

publicado por lybelinha às 15:45

link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 3 de Junho de 2015

Trajecto poético ( impossível )? - ou da percepção dos sonhos -

Poetic trajectory ( impossible )? - or of the perception of dreams -

 

Maravilhosas distâncias,

para realçar memórias, embevecia.

Vales e cumes sinuosos...

Mares e rios divinos, revoltos!

Planaltos verdejantes de glórias.

 

Marvelous distances,

to highlight memories, rapture.

Valleys and sinuous ridges...

Seas and divine rivers, rough!

Green plateaus of glories.

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

Mas, por onde andaria, o sonho

daquele olhar revelado,

que o meu coração

guardou com tanto cuidado.

Flamejante de liberdade e emoção!

 

But, by where would walk, the dream 

of that revealed look,

that my heart

kept with so much care.

Flaming of freedom and emotion!

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

  Rosamar  Freedom

 

 

publicado por lybelinha às 15:23

link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 1 de Junho de 2015

Expression and reason to my writing ( more explicit )

S.O.S. - Save our Souls -

 

All that " good thing ",

meant to disappear...

After all, i still, still

want not let go, but the fear...

Make an empty land,

   to stand, to stand,

   and always i lost courage!

I became part of that empty space

and fade away in complicated "maze".

-------------------------------------------------------

But, the "poetic" linger, always laying

in special pace of time,

to bring me back

to fill the continuous gap;

that voice deep inside,

could be the words

became a device for the cords:

to measure the beating start

of a happy heart!

The wright measure might

      be inspiration to elaborate:

a melody for a song,

      the poetic joint so long with

mystery of my being...

...................................................................

Spontaneous beauty

right from the heart,

care by purity.

The best ( hide ) part of me,

climb this lines...

To find my way

in the lost maze!

Until find someone,

to make understand her, him;

This is the way i`ll be, to lean

this is my endless trace.

I write and, so save my soul

to give life mean,

to believe, to make sense

to expose the land

of the ambiguity of my humanity!

::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

  Rosamar  Freedom  

 

Ambit: The rage of the authority or influence of something.

 

 

 

 

publicado por lybelinha às 11:11

link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Dezembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Se pudesse chegar - If it...

. Indefinitivas palavras - ...

. Experiências na vagueza d...

. Os dias de hoje - Nowaday...

. Mundo universal - Univers...

. Com a sombra da tristeza ...

. Na poesia, como na música...

. Na poesia, como na música...

. O fulgor da audiência ( A...

. Rumo contra a maré - A in...

.arquivos

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Maio 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

.tags

. todas as tags

.favorito

. Janela da imaginação - es...

. A criatividade do sonh...

blogs SAPO

.subscrever feeds