Quarta-feira, 30 de Maio de 2012

Aqui, folha de papel, guardo algumas palavras

       A função do sonho e a escrita

 

Se não chegam as centenas de folhas

para exprimir um pouco do tanto que sinto

engrandecidas as vejo pelo que escrevo e exprimo,

nesta limitada condição útil deveras,

que dá fictícia finitude a tantas quimeras!

 

Encanto de folhas brancas em rectângulo...

Hermética ilusão que transforma e compõe.

Muitas vidas que respiram o dom de existir,

que se transcrevem em ideias de preâmbulo

para o que antecede o que de sério a vida supõe!

 

Não seria por este trabalho inventivo,

que se catalizam os nossos sonhos!

Não será por este devir desassossegado

que imponho ao papel de tinta timbrado

a difícil importância das folhas que são livro.

 

Empedrado revestido de razão e sentimento,

possibilidade que se realiza nesse desenhar

sinuoso, único, abrangente e saudoso

de tudo o que se vai errante a dispersar...

Nesse jogo de espelhos da alma e seu ardiloso labirinto!

 

Poema pensado no cerne de inspiração,

submundo instítuido num tempo de pensar,

quebrado pelo tempo despreparado,

que é o real a se disseminar,

sem valor, desmedido, a confundir o sonho e a sua função.

 

         Rosamar  Freedom 

publicado por lybelinha às 15:50

link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 13 de Maio de 2012

Ideologias (procuram-se)

Nesta aventura lúdica do espírito,

que culmina em poesia e sentimentos

Misturando ordem racional e a fantasia dos mitos,

desencontro-me das emersas ideologias em extensos escritos

apresentados em modelos revelando inconscientes politicos.

 

O espelho poético revolta-me o ser emerso...

Que se debate na luta para si próprio,

que se acolhe na pureza do sentido

ancorado no poder reflexivo

que perdura na luta por se elevar e imergir.

 

Duas incidências recorrentes e opostas.

Uma que se procura na outra inalterável,

que se mantém em silêncio interior de possíveis respostas!

Organizada em método que simboliza imaginação

de arquétipos sociais construídos em sonhos de forma variável!

 

Em sua intensa procura convirgo de antemão 

A racionalidade de um lugar povoado de sonhos,

estranha forma de realidade invencível

por sua verosímilhança de ideias e valores críveis,

em alerta constante de desejo de libertação!   

 

Ideologia: Conjunto de ideias, dos valores e dos sentimentos que informa a experiência social humana e que só estão disponíveis para nossa compreensão através da literatura.

 

Rosamar  Freedom 

publicado por lybelinha às 11:17

link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 10 de Maio de 2012

Imaginação, heroína da razão

O tempo passa por dentro do que sou.

Olho-o através de um vazio que me inflama,

trago-o em sua digna razão incidente.

torna-se valor e sentido em toda a minha alma!

E vou enumerando e descrevendo o ser em traços de tempo coincidente.

 

Então o tempo me traz tudo sem lemas.

Apenas essa dádiva em dívida injusta

Que plana incerta pelo eco do silêncio,

libertando a ofuscação escondida no mistério!

Que coincidiu no tempo e nos meus poemas.

 

Como se as palavras me trouxessem a dimensão 

do tempo esquecido na imaginação da memória,

que se veste e reveste de sonhos e esperança!

Que não esquece o que inscreveu na solidão...

Imaginação, que se fez heroína em sentido-tempo, razão e glória!    

 

Rosamar  Freedom                                                                                                             

publicado por lybelinha às 09:41

link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 7 de Maio de 2012

Referencial Temporário-relógio de breves referências

           Arquitectos modulares             

 

Abdico das horas, dos minutos e segundos,

procurando enfatizar com a linha do tempo.

Retomando o sinal do aço sobre as paredes de betão!

O sinal da claridade, que obscurece o dia que termina em azul profundo.

E vai aclarando a noite de luz superficial em rebelião!

 

Que demonstra uma beleza diferente,

que jaz na raridade da perene continuidade,

do escuro que se transfigura, como sobrevivente

de uma realidade construída pelo avanço da humanidade!

Numa coesa vontade de breve sinal, que é o progresso.

 

Incrustada nessa dinâmica que aviva sentidos

Viabiliza a possibilidade de conceber vida de nova clivagem!

De sonhar sem as condicionantes limitativas

E transformar o avanço em mundos infinitos...

Mesmo sem o rei sol e seus cambiantes de origem!

 

Projecções de luz que trespassam a noite que nasceu...

Processo artificial que transforma a realidade.

Intensidades de luz diferem ampliando a cidade!

Demoram os espaços livres em escolhas e semideus.

E criam, constroem, viabilizam uma nova viragem do tempo!

 

E nesta liberdade artificial, sonhamos

Com a força de múltiplos cambiantes,

que se impõem com imagens criativas fundentes!

Numa mítica urbanizada em que sobrevoamos...

Num futuro livre de ser prepondorante de nossa modulação!

 

Rosamar  Freedom       

publicado por lybelinha às 17:45

link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Dezembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Se pudesse chegar - If it...

. Indefinitivas palavras - ...

. Experiências na vagueza d...

. Os dias de hoje - Nowaday...

. Mundo universal - Univers...

. Com a sombra da tristeza ...

. Na poesia, como na música...

. Na poesia, como na música...

. O fulgor da audiência ( A...

. Rumo contra a maré - A in...

.arquivos

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Maio 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

.tags

. todas as tags

.favorito

. Janela da imaginação - es...

. A criatividade do sonh...

blogs SAPO

.subscrever feeds