Segunda-feira, 28 de Setembro de 2009

Pensamento Importante : As experiências humanas, boas e más

    As más e boas experiências, todas servem para aprender, mas não servem de nada se não fizerem crescer o nosso lado humano, ou seja, se só contribuírem para fazer desenvolver a pior faceta do ser humano. Porque começo a acreditar que  não se é só bom, ou só mau, pode-se ser bom e mau. Mas a maior inteligência e bondade subsiste dentro daqueles que fazem sobressair nos outros tudo aquilo que eles têm de melhor para mostrar e para dar.   

publicado por lybelinha às 14:07

link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 1 de Setembro de 2009

O Amor ( sinal em turbilhão )

 

Sem termino, sinal em turbilhão

Promessa com muito significado

Protesto do desejo que é encantamento

Inteiramente sem dor nem pecado

É o respirar do amor no meu coração.

 

Nos entardeceres, que são recomeços 

Nas manhãs, que são princípios

Nas noites de luar de enamoramento

Culminam os teus olhos cheios de paraísos

Na edificação sublime destes meus versos.

 

Derivações, impressões e esboços

Encruzilhada de dois corações

A fusão verdadeira do nosso sentimento

Sem mais querer o mar de ilusões

Estás aqui e sinto o amor quando me abraças.

 

Na delicadeza do teu modo de sentir

me aventurei com máxima destreza

Assim me encontrei nesta obra sem licenciamento

Em tantas voltas que dei ganhei esta certeza

Que voei com a vontade de te ver surgir! 

 


 Rosamar  Freedom                                         

  

publicado por lybelinha às 15:29

link do post | comentar | favorito
|

« Prefácio »

Ser poeta ou poetisa

( ou pensamento poético )

     Naquele dia tudo me parecia diferente, apesar de tudo se manter quase como antes, era um sentimento designativo de força e de algo que era novo na emoção e no sentimento. Tentando identificá-lo concretamente. pensei o que poderia fazer para o explicar. Abri as cortinas, deixei que a luz invadisse a sala e instalei-me de cabeça, corpo e alma nesse enigma por desvendar. Estava dentro de mim e no entanto não podia ainda passar para as letras das palavras... Tentei saber porquê e como fazê-lo. 

     Pensei no meu sentir quando escrevia poesia para tentar dar cor e alma a tudo o que me rodeia e que só consigo explicar se chegar ao seu cerne, ao seu profundo, ao seu âmago.Mas no dia à dia da vida do mundano, que não faz sentido nenhum para mim, porque ao observá-lo só vejo que se aloja no sentido do movimento, não no sentido do porque é que se movimenta. Isto, este pensamento faz-me sentir angustiada dentro do meu modo de ser que vou tentando decifrar através das palavras feitas frases.

     Como conseguir desvendar o meu mundo poético, já que, para muitos, são apenas estrofes com versos rimados ou versos brancos, para mim era quase sempre o meu modo de ser e de estar no mundo. Foi então que percebi o quão frágil e por vezes incompreensível para os outros, era o meu sentimento, só porque, descobri finalmente que era um ambíguo sentimento poético. Só assim me sentia perto de mim ou em mim mesma!                 

publicado por lybelinha às 14:48

link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Dezembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Se pudesse chegar - If it...

. Indefinitivas palavras - ...

. Experiências na vagueza d...

. Os dias de hoje - Nowaday...

. Mundo universal - Univers...

. Com a sombra da tristeza ...

. Na poesia, como na música...

. Na poesia, como na música...

. O fulgor da audiência ( A...

. Rumo contra a maré - A in...

.arquivos

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Maio 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

.tags

. todas as tags

.favorito

. Janela da imaginação - es...

. A criatividade do sonh...

blogs SAPO

.subscrever feeds