Quarta-feira, 25 de Fevereiro de 2009

Se esta folha bastasse... ( leve desprendimento )

Se esta folha bastasse

Para saber que as palavras

Se desejam sempre escritas

Como se alguém as calasse

 

Uma folha que se desenha

Na mais sombria tarde

num calor esmalte que arde

Em fios de inspiração serena

 

Sem fito qualquer, corre apenas

na espontânea e árdua liberdade

de se escrever e ser verdade

Em cada sinal suspenso que me prenda

 

Não a procurei , nasceu com a vida

Na condição que favorece o respirar

Nessa continuidade de não se aprisionar

E se idealizar na hora mais querida

 

Não tem um fim, apenas encadeamento

Tem um tempo de um espaço calado

Que se sente e ouve pelo seu ritmo marcado

No seu leve e doce desprendimento!

 

Rosamar  Freedom

publicado por lybelinha às 12:31

link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 23 de Fevereiro de 2009

A parte boa da imaginação e o que pode fazer por nós

 

    Quando se é criança pensa-se muito mais nos valores do bem. da verdade e da justiça, tendo estes um grande significado e importância em todas as circunstâncias? Não sei responder pelos outros, mas por mim sei, sim. Nessa continuação qualquer decepção e engano toma umas proporções desmedidas e totalmente diferentes de quando se é adulto. Nessa sequência de ideias o que poderá ser importante para que se tenha a capacidade para minimizar tudo isso, ou para se aprender a encontrar uma forma de não embater consecutivamente em barreiras intransponíveis em cada decepção que se enfrenta, em cada desengano que se tem. Cultivar e estimular a imaginação desde cedo, essencialmente a parte boa da imaginação, a que me faz ter sempre uma saída, em que eu possa imaginar uma outra maneira de eu agir ou de pensar, que me levará consequentemente a mudar a situação para melhor e mudar de forma significativa as minhas circunstâncias. É no facto de eu imaginar que poderei ser uma outra pessoa e consequentemente corrigir os meus defeitos ou não cometer determinados erros, que me colocam em situações menos boas, que vai contribuir para que a minha vida se torne melhor e o meu relacionamento com os outros também. É ao imaginar que poderei ser uma melhor pessoa e que assim poderei transformar as circunstâncias menos boas da minha vida que torno isso possível de acontecer.

   E como se poderá estimular a imaginação nas crianças? 

Julgo que recorrendo à leitura, ao teatro e ao cinema com criteriosa selecção que proporcionará simultaneamente uma gradual educação. Estimular e fazer desenvolver a imaginação que será definitivamente a melhor maneira de construir , não o ideal de um ser humano, mas um caminho para uma construção que não cessa sempre nessa direcção e nessa procura e com esse objectivo. Nunca pensar num caminho fechado e sem alternativas, imaginar sempre novos caminhos e novas alternativas com o objectivo de melhorar e de ser mais feliz. A imaginação é contudo uma janela para a alma.

    E porque é que é tão importante estimular a imaginação nas crianças? Porque só elas têm essa capacidade de se transformarem e é nessa possibilidade de se transformarem que se abrem outras e novas possibilidades de se poder encetar a mudança, que na imaginação da criança reside sempre na passagem do mal para o bem. Destruir o mal para que o bem vença, nesse mundo infantil ainda tudo gira à volta do binómio, o bem e o mal!          

publicado por lybelinha às 06:12

link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 17 de Fevereiro de 2009

Alma é diversa

 

 

 

 

 

 

    Surpreendentemente se move, aparece e se esconde, se eleva e insurge, os caminhos que percorre são todos diversos, desiguais e característicos pela diferença e diversidade. Incredulidade que se gera pelo não entendimento do que é realmente percorrer os labirintos da alma. Os desígnios da inspiração da alma são os mais verdadeiros e os que mais me enredam entre caminhos onde impera a livre vontade alojada dentro de uma casinha dourada e acolhedora, a imaginação e o sonho e a sua cor verdadeiramente genuína.  

 

Rosamar  freedom      

publicado por lybelinha às 09:40

link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 11 de Fevereiro de 2009

A poética do movimento

 

    « Só há uma verdade absoluta, por agora, tudo é perpétuo, continuo movimento, nada é estático ou estável, tudo é veloz, não na sua velocidade, mas  no seu ritmo que se transforma em constante devir ».

      É nesse ritmo que carece da estabilidade da pausa que a poética se concebe e se move dentro da instável expectativa de variação não monótona que se escreve em letras invisíveis por decifrar e interpretar. A letra poética é para mim movimento que se encobre e espera ardentemente para se tornar perceptível no som, forma e ritmo das palavras. 

publicado por lybelinha às 09:20

link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Dezembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Se pudesse chegar - If it...

. Indefinitivas palavras - ...

. Experiências na vagueza d...

. Os dias de hoje - Nowaday...

. Mundo universal - Univers...

. Com a sombra da tristeza ...

. Na poesia, como na música...

. Na poesia, como na música...

. O fulgor da audiência ( A...

. Rumo contra a maré - A in...

.arquivos

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Maio 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

.tags

. todas as tags

.favorito

. Janela da imaginação - es...

. A criatividade do sonh...

blogs SAPO

.subscrever feeds