Sábado, 7 de Outubro de 2017

Música, fugidio, o pensamento - Music, fleeting, the thought

Nesta aventura destemida

que é a hora que vivo,

sem ser perdida;

na indagação que o tempo é meu amigo.

Me fazendo viver na minha vontade!

Perpassando todos os intervalos depertos com lealdade... 

 

In this fearless adventure

which is the hour that i live,

without being lost;

in the quest that the time is my friend.

Make me live in my will!

Pervading all the waking intervals with loyalty...

 

O som de todas as canções,

que se inscrevem no silêncio do olhar;

por serem a urgência das emoções

das lembranças dos dias felizes,

que a vertigem do tempo não fez apagar!

 

The sound of all songs,

which are inscribed in the silence of the gaze;

because they are the urgence of the emotions

of souvenirs of happy days,

that the vertigo of time did not erase!

 

Mas, há muito mais, que é a saudade

de todos os lugares do coração;

que volta a bater na liberdade

que é o desejo intrínseco de sonhar com a imaginação

na esperança de ter amor sem o preço da dor.

 

But, there is much more, which is the longing

from all places of the heart;

that beats in freedom again

which is the intrinsic desire of dreaming with the imagination

hoping to have love without the price of pain.

 

Tudo isso me dá essa tão fugaz sensação:

quando ouço aquela melodia outra vez!

Em todos os momentos esta emoção

de tornar no meu rumo sem limitação, no intervalo do tempo

para ficar perto de mim mais uma vez;

correndo para a fugacidade musical que me desperta

         instantes do pensamento

 

All this gives me this fleeting sensation:

when i listen that melody again!

At all times this emotion

of becoming in my direction without limitation, in the interval of time

to be close to me again;

rushing to musical fugacity that awakens me

             instants of thought

 

     Rosamar  Freedom

 

 

 

 

publicado por lybelinha às 15:42

link do post | comentar | favorito
|

Um poema de tristeza (à portuguesa) - Pathos sentido

Não preciso de vos declamar,

de vos perseguir;

de vos saber a falar,

nem ter a coragem para fugir

por culpa dessa nostalgia dentro de mim:

que me ensombra os dias sem um fim...

 

Todas as lágrimas nada valem,

se sempre me desentendem.

Não desejo mais este vale de solidão,

se todo se reveste de um mar gelado de incompreensão!

 

Esta tristeza é mais portuguesa,

que o abcedário em todas as linhas escritas

que não quer recitar suas desditas.

E sou um poema de uma palavra tão portuguesa

que segue o seu caminho com uma certeza:

o meu coração no chão com a alma sempre presa...

 

    Rosamar  Freedom

    

publicado por lybelinha às 14:56

link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 6 de Outubro de 2017

Uma certeza (das minhas) - A certainty (mine)

Gosto, até fico feliz,

de pensar que o que

tu, estranho, entendesses no coração:

o que eu quis, o que eu fiz

te faria perder o teu revés:

essa minha arte não é competição.

 

I like it, i`m happy too,

to think that what

you, stranger, you should understand in your heart:

what i wanted, what i did

would make you lose your setback:

This my art is not a competition.

 

E juntinha com ela acendo a vela:

saberás que sou sempre

a altruista e boa samaritana;

não quero perdê-la,

para tudo o que se pense.

Sou eterna devota para a ver crescer e amá-la!

 

And near her i light the candle:

you will know that i am always

the altruist and the good Samaritan woman;

i don´t want to lose her,

for everything what they can think.

I am eternal devotee to see her grow and love her!

 

      Rosamar  Freedom

 

publicado por lybelinha às 20:42

link do post | comentar | favorito
|

Guardado na memória (estranho paraíso) - Saved in memory ( strange paradise )

Nunca te conheci,

como se conhece alguém.

Te encontrei, logo te perdi,

só por que sei também

que estás suspenso neste mistério!

 

I never met you,

like you know someone.

I found you, i soon lost you,

just because i know too

that you are suspended in this mystery!

 

Logo que te vi, sabia qual a tristeza

por me dizeres adeus.

Sem ser mesmo verdade;

mas, a tua forte certeza

tornou-se em estranha lealdade...

 

As soon i saw you, i knew the sadness

for telling me goodbye.

Without being really true;

but, your strong certainty

it becames a strange loyalty...

 

As tuas palavras, o teu olhar

significavam tudo o que pensavas:

e jamais ousas desejar.

Nessa sombra de ânimo em que te guardas

mas com as tuas palavras, tudo me mostravas!

 

Your words, your gaze

means all that you thought:

and never dare to desire.

In this mood of mind that you keep

but with your words, all showed me!

 

Guardei-te fielmente, como um segredo em improviso;

que se transforma na mais pura

das minhas emoções...

Tens o poder que mata todas as ilusões 

para dar lugar ao estranho paraíso!

 

I faithfully kept you, as secret in improvisation;

which becames in the purest 

of my emotions...

You have power that kills all illusions

to give place to strange paradise!  

 "O sentido da música é sempre premiado pela afectividade."- (Maheirie, 2003, p.150)

   

    Rosamar  Freedom

 

 

 

 

 

 

publicado por lybelinha às 18:39

link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 29 de Setembro de 2017

A tarde do teu olhar (na noite sublime de todas as madrugadas)

The afternoon of your eyes (in sublime night of every morning)

 

Quando te vejo não sei dizer,

o que me impede de insinuar

o que vou sentindo;

sem me deter

para tudo o que vou descobrindo...

 

When i see you i can not say,

what keeps me from insinuating

what i`m feeling;

without derrerring me

for everything i`m discovering...

 

O silêncio do teu olhar que demora

é toda a via para o coração,

não deixar de imaginar;

que entrelinhas para uma solidão

que se torna encantadora

se ajeita para ficar.

 

The silence of your gaze that lingers

it`s all the way to the heart,

do not stop imagining;

that the between the line to a solitude

that becomes charming

is arranged to stay.

 

É quando a dor longa e cruel

se transforma em poema

e todas as silabas se acentuam tónicas

na libertação de todos os fonemas;

e o papel se dá à sensação fiel tão perto.

Que escrever-te é ter entoação no tempo certo!

 

That`s when the long and cruel pain

becomes poem

and all syllables accentuate tonic

in liberation of all phonemes;

and the role is given to feeling so close.

That describe you is to have intonation at the right time!

 

E a tarde chegou e o teu olhar tão certo;

continua selado, tardio, admirado, em que olhavas!

Para dar todas as linhas além do verso

continuas, descontinuas, refúgio desencontrado

no teu olhar, na noite sublime de todas as madrugadas...

 

And the afternoon has come and your gaze so sure;

remains sealed, delayed, admired, in which you looked!

To give all the lines beyond the verse

continuous, discontinuous, dislocated refuge

in your look, in sublime night of all the dawns... 

 

    Rosamar  Freedom 

publicado por lybelinha às 15:36

link do post | comentar | favorito
|

A incerteza dos meus desejos (Labirinto de contradições)

The uncertainty of my desires (Maze of contradictions)

 

Luto sempre com coragem;

contra a desigualdade,

contra a injustiça, para a justiça que almejo!

Contra a maldade

mas, mantenho-me à margem

de lutar com a incerteza do que desejo.

**********************************************

Mas, tenho muitos desejos:

uns possíveis

outros são apenas sobejos

de sonhos, que esqueço!

Mas, nunca me dão certezas previsíveis;

e outros nem sei se os mereço...

 

I always struggle with courage; 

against inequality,

against injustice, for the justice i long for!

Against evil

but, i stay on sidelines

to struggle with the uncertainty of what i desire.

 

But i have so many desires:

some possible

others are just remnants

of dreams i forget!

But, they never give me predictable certainties;

and others i do not even know if i deserve them...

 

E as incertezas abalam o meu ser,

que lamenta sua fragilidade

guardada em meus desejos,

que não ouso deixar perecer:

em sua luta de rebeldia e rivalidade,

que se encontram, como namorados com carinho e beijos.(os sonhos)

 

And the uncertainties shake my being,

which regrets its fragility

kept  in my desires ,

that i dare not perish:

in their fight of rebelliousness and rivlary,

who meet as lovers with affection and kisses. (the dreams)

 

Se eu descubro a razão,

que me traz tantas surpresas:

são tantas contradições

para continuar junto do meu coração;

pelo desejo de algumas certezas,

que vou sonhando que deixam de ser apenas mais ilusões!

 

If i find the reason,

that brings so many surprises:

are all the contradictions

to continue with my heart;

for the desire of some certainties,

that i`m dreaming that they stop  being just more illusions!

 

     Rosamar  Freedom 

*** ...Versões extremas e jocosas( divertidas) graves desse solipismo (estranhosidade) sugerem que nós mesmos somos feitos desse material de que são feitos os sonhos; talvez sonhado por um Demiurgo, ou até mesmo, como Decartes especula, por um demónio. Todo o pensamento acerca do mundo, toda a observação e compreensão seria reflexo, cartografias num espelho. Excerto In Livro: Dez razões (possíveis) para a tristeza do pensamento, autor: George Steiner    

Translation: ...Extreme and playful versions serious of this solipism (Theory that only the self exists or can be known) sugest that we oueselves are made of this material of which dreams are made; perhaps dreamed by a Demiurgo, or even, as Decartes speculates, by devil. All the thinking  about the world, all observation and understanding would be reflection, cartography in a mirror. Excerpt from the book: Ten reasons (possible) for sadness of thought, author: George Steiner    

   

 

 

 

 

 

 

 

publicado por lybelinha às 13:12

link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 27 de Setembro de 2017

Tenho tempo (a vida em improvisação) - I have time ( life in improvisation)

      Uma manhã - One morning

Para escolher sem turvar o meu olhar;

o tempo decidiu ser infinito...

Sem o perder, jamais me descuidar;

na impressão de um motivo,

que multiplica todos os instantes!

 

To choose without blurring my look;

The time has decided to be infinite...

Without losing it, never neglect me,

in the impression of a reason,

which multiplies every instant!

 

Nasceu mais uma manhã;

mas como um desejo que guardo:

a cor carmim claro,

não traz esperança vã...

É a luz do meu olhar com que me deparo  

 

Was born another morning;

as a wish that i keep:

the color carmine clear,

does not bring empty hope...

It is the light of my look i am facing

 

Cada sintonia é tão perto;

é todo o silêncio, em que o sol ainda se esconde

em todas as coisas para que desperto:

é a vida que pulsa e responde;

É a luz do sol carmim vermelho que enche o céu aberto

ao fundo da linha incerta do horizonte...

 

Every tune is so close;

it is all the silence, in which the sun still hides

in all things that i awake:

it is life that pulsates and responds;

it is the red carmine sunshine that fills the open sky

at the bottom of the uncertain horizon line...

 

Como uma surpresa, que não avisa,

o sol amigável aparece;.

invade devagar a brilhar sem fim...

Tão, tão amarelo na janela, enternece!

A partitura da vida a inspirar, que perfeita improvisa.

 

As a surprise, it does not warm,

the friendly sun appears;

invades slowly to shine without end...

So, so yellow in my window, it softens!

The score of life to inspire, that perfect improvises.

 

      Rosamar  Freedom       

   

 

    

 

 

 

 

 

publicado por lybelinha às 07:53

link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 17 de Setembro de 2017

Rimas universais (na busca da tentação da emoção)

Universal rhymes (in search of the temptation of the emotion)

                 Encadeamento poético - Poetic enjambment

 

É a sensibilidade instantânea,

pela vida maravilhosa:

que acontece desalinhada, leviana

como uma rosa clara;

que floresce branca e tão viçosa!

 

Is the instantaneous sensitivity,

to the marvelous life:

that happens misaligned, frivolous

like a light rose;

that blooms white and so lush!

 

De todo o entendimento tão real,

que transcende o pensamento...

Que se solta, deixa de ser banal!

E a ambiguidade se torna amante num momento

de toda a bela simplicidade;

 

Of the all understanding so real,

that transcends the thought...

That loosens, ceases to be banal!

And ambiguity becomes a lover in a moment

of the all beautiful simplicity;

 

Todo o sonho do artista

é uma busca na simetria,

que se esconde na inspiração...

Até que o entardecer se torne dia,

até a tradução de alguns mistérios seja uma conquista!

 

All the dream of the artist 

is a quest for symmetry,

which hides in inspiration...

Until sunset becomes daylight,

until the translation of some mysteries is an achievement!

 

A completude do sentimento a enlaçar;

a realidade de certo acontecimento.

Uma universalidade da sugestão de se emocionar...

Uma certa tentação de todo o pensamento,

que me faz perder o medo de estranheza do imenso desconhecido!

 

The completeness of feeling to bond;

the reality of certain event.

A universality of suggestion to thrill...

A certain temptation of all thought,

that makes me lose the fear of strangeness of the immense unknown!

        Rosamar  Freedom

 

publicado por lybelinha às 15:30

link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 15 de Setembro de 2017

In love (with all my devotions)

I`m not falling in love

with all the poetic letters,

ensnared in subtile directions

what i think is close:

of that my heart matters;

of all my happiness devotions!

 

Keeping all the connections,

loving all the pleasures;

cause my dreams are possible!

Never hide my emotions,

when my dispersion have no measures...

I feel the beat of my heart in song which feels!

 

    Rosamar  Freedom 

publicado por lybelinha às 18:44

link do post | comentar | favorito
|

A felicidade do acaso (do pensamento sonhado)

The venture of chance (of dreamed thought)

 

      Início - Enlaces    

      Start - Links  

 

Guardo todos os dias,

que conheço na sua vontade;

que são inspirações preparadas

num sonho estudado de verdade.

E tantos instantes e sensações esguias

são noites felizes realizadas.

 

I keep everyday

that i know in its will;

that are inspirations prepared

in a real studied dream.

And so many instants and slender sensations

are happy nights performed.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Perdida pela origem do acaso fortuito,

que me faz balançar na vida:

que reclama paz e liberdade,

numa intenção nunca perdida.

Ensaio pelo acaso instável no sonho do meu estudio;

a perdição desmedida de não ser saudade.

 

Lost by the origin of random chance,

that makes me sway in life:

who claims peace and freedom,

in an intention never lost.

Test by the chance unstable in the dream of my studio;

The excessive loss of not being nostalgia.

 

    Rosamar  Freedom   

 

  

publicado por lybelinha às 16:09

link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Música, fugidio, o pensam...

. Um poema de tristeza (à p...

. Uma certeza (das minhas) ...

. Guardado na memória (estr...

. A tarde do teu olhar (na ...

. A incerteza dos meus dese...

. Tenho tempo (a vida em im...

. Rimas universais (na busc...

. In love (with all my devo...

. A felicidade do acaso (do...

.arquivos

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Maio 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

.tags

. todas as tags

.favorito

. Janela da imaginação - es...

. A criatividade do sonh...

blogs SAPO

.subscrever feeds